Reajuste do piso dos professores em 2012: se Telha pode pagar o Governo Déda também pode

175
roberto

Dias depois do Ministério da Educação anunciar o robertopercentual de 22,22% de reajuste do piso salarial dos professores para o ano de 2012, o SINTESE divulgou nessa sexta 02/03 uma lista de seis municípios que já negociaram o pagamento do percentual para todos os professores, respeitando o Plano de Carreira. Na lista constam os municípios de Telha, Pirambu, Amparo do São Francisco, Siriri, Indiaroba e Lagarto.

Segundo o sindicato, os professores já receberão em seus contracheques o reajuste de 22,22% do piso para 2012. O professor com formação em nível médio terá como vencimento inicial R$1.451 e os professores com formação superior, os valores variam de acordo com a diferença estabelecida para a progressão vertical em cada plano de carreira.

Chama atenção na lista divulgada pelo SINTESE onde constam municípios pobres como Telha e Amparo do São Francisco que já estão realizando o pagamento do Piso para todos os professores. Entretanto, o Governo Déda tenta convencer a população que não tem dinheiro para pagar o piso para todos os educadores da rede estadual. Bem, se Telha, um dos municípios mais pobre do Estado, pode pagar o Governo Déda também pode, basta tem vontade política para fazer.

De acordo com o ministro da educação Mercadante a lei do piso, aprovada em 2008, prevê que haja complementação da União caso o município ou estado comprove que não tem capacidade financeira para pagar o piso a seus professores. Entretanto, as prefeituras que solicitaram a verba ao MEC não atenderam aos pré-requisitos previstos, como, por exemplo, ter um plano de carreira para os docentes da rede e investir 25% da arrecadação de tributos em educação, como determina a Constituição.

Assim, se o Governo Déda alega que não tem dinheiro para o pagamento do piso, porque não solicita recursos da União? Os dados comprovam na fala do Ministro que o Estado de Sergipe pode, sim, pagar o reajuste de 22,22% do piso salarial para todos os professores, respeitando o plano de carreira, basta querer.