Professores na Assembleia Legislativa acompanham pronunciamento de Ana Lúcia

59

Seguindo o calendário de luta do magistério da rede estadual os professores estiveram na manhã desta quarta-feira, 25, nas galerias da Assembleia Legislativa e puderam acompanhar o pronunciamento da deputada Ana Lúcia que fez um histórico das lutas empreendidas pelos professores na busca de um diálogo com os gestores.

Ela lembrou que na época da diplomação do governador Albano Franco os professores estiveram no auditório solicitando audiência para dialogar com a categoria. Houve também o episódio em que o já governador estaria na igreja Assembleia de Deus no bairro Siqueira Campos e os educadores ocuparam a porta da igreja e também foram recebidos, na época pelo secretário Pastor Virgílio.

Quando Iran Barbosa estava na presidência do SINTESE os professores aproveitaram a visita do Ministro da Previdência a Aracaju e realizaram ato público e foram ouvidos. “A ação de ocupar os espaços públicos na tentativa de buscar o diálogo com os governantes faz parte do processo democrático que vivemos no país”.

Ela lamentou a ação do governador Marcelo Déda na inauguração do Parque dos Cajueiros, pois em seu discurso o governador intitulou os professores de mal educados. Ana Lúcia também ressaltou que o diálogo e a tolerância são os princípios basilares para a resolução de conflitos. “Não trabalhamos para provocar a repressão. Democracia para nós é quando os governos sabem utilizar o diálogo como forma de negociação para resolver os conflitos”, refletiu a deputada.

Ela repudiou textos publicados na imprensa que intitularam os professores de baderneiros e conclamou a categoria para que no primeiro dia de aula após a greve os educadores trabalhem com os conceitos contidos nos textos, para que os alunos possam compreender mais o processo de luta dos professores por valorização e dignidade profissional, pois a luta dos professores é mal compreendida pela classe política e também por parte da imprensa.

Ao final do pronunciamento ela apelou ao governador Marcelo Déda que tenha uma posição de estadista e busque a resolução dos conflitos. Para ela as partes devem ser ouvidas, a instituição que representa os professores deve ser ouvida, pois o sindicato é uma conquista da classe trabalhadora e não pode ser ignorada.

Calendário de luta

Na manhã dessa quinta-feira, 26, a partir das 8h os professores realizaram ato público em frente a Secretaria de Orçamento, Planejamento e Gestão. Na sexta, 27, pela manhã os educadores realizam panfletagem pelos terminais e assembleia a partir das 15h.