Respostas ao Governador Marcelo Déda

374
Depois do belo ato de protesto realizado pelos professores da rede estadual, em greve pelo não cumprimento da Lei do Piso Salarial por parte do governo de Sergipe, o senhor Marcelo Déda foi aos meios de comunicação dar a sua versão sobre o ocorrido. Destacamos, abaixo, algumas de suas colocações, seguidas de nossos humildes comentários:
“Foi uma atitude de uma minoria, cerca de 50 professores”

Ora! Gostaria que o governador explicasse, então, como um pequeno grupo de apenas 50 pessoas, empunhando bandeiras, poderia calar o seu discurso, deixando-o visivelmente desconcertado, a ponto de tentar colocar o público contra nós.
“O SINTESE ultrapassou todos os limites”

Como assim? Com um grupo de 50 professores, como o senhor afirma, superando com suas vozes toda a potência do som que equipava o evento? Esta sua afirmação desmente a primeira. E quando um dos palhaços que animavam a festa resolveu lhe fazer um elogio, a saraivada de vaias não partiu apenas dos professores, mas do público que lhe ouvia.
“A greve virou um vício”

Então, governador, o senhor como um ex-viciado, deveria ter compaixão de nós. Afinal, quem não se recorda de seu passado honroso como defensor da classe trabalhadora? Passado que, lamentavelmente,  está sendo enterrado cada dia mais fundo.
“Já estou pagando o piso, para os professores de nível médio, como determina a Lei”

Governador, sinceramente, se eu fosse o ex-presidente Lula, ficaria muito bravo com o senhor. Acha mesmo que o nosso querido Luiz Inácio Lula da Silva sancionaria um lei que privilegia profissionais com menor formação, em detrimento daqueles que avançaram mais na instrução acadêmica? Sim, porque se o prezado governador levar essa estultícia adiante, em alguns anos professores de nível médio estarão com remuneração maior do que seus colegas de nível superior. Um absurdo em qualquer classe profissional, e mais ainda em se tratando de uma categoria de trabalhadores que lidam diretamente com o saber.

E a luta continua, nas ruas, nos espaços públicos, nos meios de comunicação, seja onde for. Se o piso salarial do magistério é uma conquista alcançada em décadas de suor e lágrimas, não deixaremos que nos neguem esse direito. Naquele dia histórico, de uma grande aula de cidadania, o senhor nos chamou de mal educados. Que conceito imagina que temos a respeito de sua pessoa?

*Professor da Rede Estadual de Ensino