Feijoada da Resistência: paixão pela luta

67

A feijoada da resistência realizada no 19º dia de greve em frente ao Palácio de Despachos mostrou a disposição e mobilização dos professores da rede estadual na luta pelo reajuste do piso para todos os educadores.

Em movimentos prolongados os professores realizam a feijoada, pois ela é um símbolo da cultura brasileira e sergipana que o magistério utiliza para dialogar com sociedade. “Conversamos com a sociedade sergipana utilizando um forte elemento da nossa cultura e a participação dos professores na construção da iguaria é um símbolo de mobilização e de luta”, apontou Ângela Maria de Melo, presidenta do SINTESE.

A feijoada é feita coletivamente com a participação dos professores desde a noite da quinta-feira com os elementos da cultura nordestina e sergipana.

Além da culinária, a música e a dança também estiveram presentes. Apresentações de forró de pé de serra, dos alunos do Colégio Estadual Prof. Gilson Amado e do Reisado do SINTESE também fizeram parte do ato público.

Apoio

Os professores também receberam apoio do SINTUFS – Sindicato dos Servidores da Universidade Federal de Sergipe e de representantes da FENADADOS – Federação dos Trabalhadores em Empresas de Processamento de Dados, Serviços em Informática e Similares e também da Central Única dos Trabalhadores.

Próximos atos

Os professores estarão nesta segunda (07), a partir das 8h em frente a sede da Secretaria de Orçamento, Planejamento e Gestão.

A tarde a partir das 14h no Instituto Histórico e Geográfico será realizado um estudo sobre “As Implicações da Implantação do Índice Guia e do Compromisso de Gestão nas Escolas Públicas de Sergipe”.

A próxima assembleia será realizada na terça (08) a partir das 15h também no Instituto Histórico.