Professores de Tomar do Geru, Moita Bonita e São Domingos em greve

75

Mais três municípios acirram a luta pelo reajuste do piso em 2012. A partir desta quarta-feira, dia 16, os professores de Tomar do Geru, na região Sul e São Domingos, na região Agreste paralisam as atividades. Já no município de Moita Bonita, também no agreste sergipano a categoria realiza dois dias de paralisação.

Em Tomar do Geru as negociações não avançam, pois o prefeito José Adelmo Alves só apresenta propostas com reajuste do piso diferenciando os níveis. O Poder Executivo de Tomar do Geru é mais um que interpreta a lei pela sua conveniência, chegando ao ponto de apresentar o reajuste de 22,22% somente aos professores com formação em nível médio, os demais não teria reajuste.

Em assembleia a categoria não aceitou a proposta e decidiu paralisar as atividades. Na quarta-feira, 16, os educadores realizam um café da manhã em frente a prefeitura.

São Domingos

Não houve avanço em nenhum dos pontos da pauta apresentada pela categoria ao prefeito Robson Mecena. Além do reajuste do piso em 2012, os educadores também pleiteiam o pagamento da metade do terço ferial (a primeira metade foi paga em janeiro); pagamento das horas extras dos educadores das séries iniciais, cumprimento do Estatuto do Magistério no que diz respeito a redução de jornada de trabalho; regularização do pagamento (os professores recebem de forma fracionada); garantia de auxílio transporte e regularização do repasse para o INSS.

A melhoria na estrutura física das escolas e o fornecimento regular de material didático-pedagógico e alimentação escolar também estão na pauta de reivindicação.

Na quarta haverá uma audiência entre a comissão de negociação e o prefeito, após a reunião será realizada uma assembleia que definirá os rumos do movimento.

Moita Bonita

Nesta quarta e quinta-feira (15 e 16) os professores da rede municipal de Moita Bonita fazem paralisação de advertência. Os professores exigem o cumprimento da lei do piso, que o reajuste seja para todos do magistério em todos os níveis. A única proposta apresentada pela prefeita Graziele da Costa é reajuste linear de 10%, proposta essa repudiada pela categoria.