Moita Bonita, Pacatuba, Ilha das Flores, Neópolis e Malhada dos Bois em greve

218

A falta de negociação para o reajuste do piso leva os professores de cinco municípios a paralisarem esta semana. A partir desta quarta-feira, 23, não haverá aulas nas escolas de Moita Bonita, Pacatuba, Ilha das Flores, Neópolis e Malhada dos Bois;

Moita Bonita

Em Moita Bonita os professores fizeram nos dias 15 e 16 uma paralisação de advertência buscando a retomada das negociações pois a única apresentada pela prefeita Graziele da Costa é reajuste linear de 10%. Os professores esperam discutir amplamente a atual conjuntura financeira do município.

Malhada dos Bois

Em Malhada dos Bois a situação é semelhante, a comissão de negociação do SINTESE busca uma saída para que haja o reajuste do piso sem alterações na carreira, mas o Poder Executivo tem se esquivado da questão. O secretário municipal de Educação comprometeu-e a apresentar uma proposta para a categoria no dia 03 de maio e até agora nada.

Neópolis

No município de Neópolis os professores aguardam um posicionamento do prefeito Marcelo Guedes para abrir as negociações sobre o reajuste do piso. “O prefeito nos garantiu no final de 2011 que logo nos primeiros meses do ano, iríamos ter reuniões para que o reajuste fosse acordado, mas até agora nada”, conta a coodenadora de Comunicação da sub-sede Baixo São Francisco II, Benalva Santos.

Os professores denunciam também a péssima condição física de várias escolas, a falta de alimentação escolar e a precariedade no transporte dos alunos. A escola do povoado Flor do Brejo está sem água desde o ano passado, os alunos precisam trazer de casa. Na quinta-feira, dia 24, os educadores fazem um café da manhã a partir das 7h em frente ao prédio da prefeitura e realizam ato público.

Pacatuba

Os educadores fazem paralisação de advertência dias 23 e 24, pois a prefeita Diva Santana de Melo ainda não sancionou a lei que garante o reajuste de 22,22% a todos os professores. As negociações foram feitas e o projeto de lei aprovado na Câmara foi o acordado entre o sindicato e a administração municipal. “Os professores não compreendem o porquê da prefeita ainda não ter sancionado a lei. Esperamos que a prefeita se sensibilize e sancionei a lei”, apontou Jociene

Ilha das Flores

A única proposta apresenta pelo prefeito José Ronaldo Gomes Calixto é o parcelamento do reajuste, sendo 7,22% no mês de junho e mais 5 parcelas de 3%. A categoria não aceita a proposta e entra em greve por tempo indeterminado a partir desta quarta.

Em greve

Além destes municípios também estão em greve: Tomar do Geru, São Domingos, Canindé do São Francisco, Japoatã, Santo Amaro, Cristinápolis, Capela e os professores da rede estadual.