Professores da rede estadual farão jejum pelo resgate da dignidade da profissão

64

A partir das sete da manhã desta quinta-feira(24) um grupo de professores da rede estadual e também da direção do SINTESE farão um jejum de 24 horas. Grupos de educadores se revezarão e o ato prosseguirá até a segunda (28).

A atitude dos professores foi consequência das várias ações do governo que, além de não cumprir a lei do piso ao reajustar os salários dos professores em todos os níveis ainda, através de entrevistas que visam colocar o magistério contra a população sergipana e tratando os docentes como criminosos e após audiência ocorrida no início da tarde desta quarta (23) com o secretário de Estado da Fazenda, João Andrade.

“Os professores que têm o importante e imprescindível papel de educar os filhos dos trabalhadores e não podemos abrir mão de um direito conquistado com muita luta e garantido por lei federal”, disse Ângela Maria de Melo, presidenta do SINTESE.

Os educadores acampados na Seplag convidam os demais professores, alunos e pais de alunos a participarem e se solidarizarem neste momento de luta.

Audiência

Além dos membros da comissão de negociação do SINTESE participaram da audiência a deputada estadual Ana Lúcia e o economista do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – Dieese/SE, Luiz Moura.

A audiência foi marcada após a ocupação dos educadores da rede estadual ao prédio da Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, ocorrida na terça-feira (22).

“Nosso objetivo ao tentar abrir o diálogo com o governo é buscar alternativas para a construção do processo de reajuste do piso salarial que está garantido por lei federal”, aponta a presidenta do SINTESE, Ângela Maria de Melo.

O secretário da Fazenda voltou a repetir do discurso ensaiado de que não há dinheiro para o reajuste. No debate os membros da comissão de negociação colocaram as alternativas para a construção financeira para o reajuste do piso ser efetivado.

João Andrade apresentou um cenário tenebroso inclusive para os demais servidores públicos, para o secretário há a possibilidade de não haver reajuste para os servidores não só em 2012, mas também para 2013 e talvez só em 2014 talvez possa haver uma composição salarial.

“O magistério é, atualmente, a única categoria que tem um reajuste garantido por lei e o governo não cumpre a lei”, disse a presidenta.

Assembleia

A próxima assembleia está marcada para segunda-feira (28) a partir das 14h.