SINTESE assina notificação de despejo mas permanece na SEPLAG

56

Apesar do processo de negociação empreendido pela deputada Ana Lúcia para que os professores não fossem notificados a desocupar o prédio da SEPLAG (ocupado desde o último dia 22) a oficial de justiça voltou a ocupação, insistindo que a notificação de desocupação imediata fosse assinada.

A situação ficou tensa entre os professores e a oficial, pois o magistério entende que a luta pelo reajuste do piso para todos. A oficial chegou a dar voz de prisão ao professor Joel Almeida, mas depois de muito diálogo a situação foi contornada.

Após conversar com a oficial, a presidenta do SINTESE, Ângela Maria de Melo assinou a notificação, mas os professores decidiram permanecer no prédio. Eles só sairão às 7h desta segunda-feira (28) quando o quarto grupo acaba o processo de jejum como foi deliberado pela categoria. “Somos educadores, sabemos cumprir a lei e temos consciência do nosso papel como educadores. Nossa luta é justa, mas também sabemos que a desobediência civil é um processo educativo”, disse a presidenta do SINTESE.