Autor da Lei do Piso defende reivindicação dos professores de Sergipe

62

Cristovam Buarque: “O valor é R$ 1.421,00 para quem menos ganha. 22,22% é a taxa de aumento”

Dando continuidade ao assunto que mobiliza o estado há mais "Governo de Sergipe infringe a Lei"de um mês, o programa Comércio em Debate, transmitido pela rádio Comércio, desta quarta feira, dia 30, entrou em contato com o autor do Projeto de Lei que garante o piso salarial aos professores da rede estadual de ensino, senador Cristovam Buarque. O senador, bem como todos os demais entrevistados que passaram pelo programa para discutir o assunto, afirmou que o governador do estado, Marcelo Déda (PT) tem falhado com suas obrigações e infringe a lei.
Entrevistado pelo apresentador Robson Santana, Cristovam Buarque foi claro ao dizer que não se deve pagar menos do que o piso a nenhuma categoria e que a lei que prevê o reajuste de 22,22% é para toda carreira.

“A lei é muito clara, tenho orgulho de dizer que esse projeto foi levado adiante, e é baseado na constituição. Os professores do ensino médio devem ganhar o piso e os professores com mestrado, doutorado e superior devem ganhar acima do piso. Piso é piso, em qualquer lugar do mundo, está no dicionário. O governador está ilegal, não está cumprindo a lei. O menor salário de um professor em todo território brasileiro é hoje de R$ 1.421,00 , além disso, a lei do piso diz que o professor com a carga de 40 horas só deve dar oito horas de aula. Essa é a lei. Foi determinado já o aumento de 22% do piso do ano passado para o piso deste ano” declarou o senador.

Explicando que o percentual de reajuste deve ser dado a toda a categoria de educadores, o senador Cristovam disse que 22,22% é a taxa de aumento a ser reajustada. “Ninguém pode ganhar menos que isso. O valor é R$ 1.421 para os professores que menos ganham. 22,22% é a taxa de aumento. A gente tem que pagar bem ao professor porque se o professor não ganhar o que ele merece o Brasil não é um país decente”.

Fazendo um comparativo, Cristovam Buarque tomou por base o menor salário dos professores para calcular o que modifica a lei do piso. “O valor era 1.100 e alguma coisa, com o aumento passou a valer 1.421”, explicou. O senador também disse que é dever de todo profissional de educação se dedicar ao trabalho para que não somente o professor seja beneficiado. “Professor que não se dedica também não melhora o Brasil”, disse.