Governo tenta desmobilizar enterro simbólico

289
piso

De forma ilegal, Deda ameaça corte de ponto para intimidar os professores

piso

Desde quinta–feira, 07, o Governo do Estado veicula nos meios de comunicação um informe sobre a greve dos professores, em tom ameaçador, com o intuito de intimidar os professores e pressioná-los a voltar para sala de aula antes do término da greve. O informe diz que a greve foi julgada ilegal pelo Tribunal de Justiça de Sergipe, afirma que a SEED está preparando um calendário de reposição e convoca os professores a voltarem à sala de aula com clara ameaça de corte de ponto dos dias parados.

É importante esclarecer que, embora toda a imprensa afirme que a greve dos professores é ilegal, até o momento o sindicato não foi notificado, portanto, inexiste descumprimento de decisão judicial, logo não se pode aplicar penalidade alguma determinada pela justiça. Outro absurdo, e de ordem pedagógica, é que esqueceram de dizer ao governador, que a discussão sobre o calendário escolar é de responsabilidade da escola, e não imposta pelo Governo, qualquer professor ou cidadão com leitura mínima da LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) sabe disso.

Os professores têm a clareza de que terão que repor as aulas não ministradas durante a greve, mas farão isso discutindo coletivamente na escola em que trabalha.

A imprensa também tem informado que a penalidade apresentada pela justiça em relação ao descumprimento da decisão de ilegalidade da greve é uma multa diária de R$20 mil, em nenhum momento fala-se em corte de ponto, e mesmo se houvesse, isto só seria possível em razão de descumprimento. Portanto, a ameaça de corte do ponto do Governo do Estado tem dois objetivos: o primeiro de alimentar o caráter arrogante, prepotente e vingativo do Governo Déda, uma vez que os seus discursos nos meios de comunicação não conseguiram convencer ninguém a retomar o trabalho. E o segundo, porque houve uma deliberação na última assembleia de realização do enterro simbólico do Governo, e esta ameaça serviria como um instrumento de desmobilização dos professores para o enterro, pois, se esta manifestação for bem sucedida, fortalecerá ainda mais a luta dos educadores.

“Essa ação demonstra claramente o desespero do Governo do Estado em ter aulas retomadas a qualquer custo em virtude do enorme desgaste que sofreu durante a greve, e que nesse momento ao fazer contato com os pais de alunos e na colagem de adesivos nos sinais de trânsito, percebemos claramente que a sociedade sergipana tem respaldado a luta dos trabalhadores em educação. O Sintese neste final de semana estará respondendo à nota do Governo”, afirma Joel Almeida, Diretor de Comunicação do Sintese.

Os professores têm assembleia marcada para terça-feira às 9h, e nesta assembleia se já tiverem sido notificados, deliberararão sobre o fim da greve ou não.