Reajuste salarial: SINTESE vai à SEED cobrar discussão com secretário

64

Comissão de negociação vai continuar cobrando posição do governoNa manhã desta terça-feira (23), a direção do SINTESE esteve no gabinete do secretário de Educação, Belivaldo Chagas, para cobrar a discussão sobre a proposta apresentada pelos professores, aprovada em assembleia da categoria e transformada em indicação pelos deputados estaduais, que visa o restabelecimento da carreira única e o reajuste do piso salarial do magistério para todos os níveis.

No gabinete de Belivaldo, os dirigentes do SINTESE foram informados pela equipe do secretário de que ele estaria visitando obras pelo interior e que, assim que aparecesse na Secretaria, buscariam marcar um horário ainda hoje para uma audiência com o sindicato.

O projeto aprovado na Assembleia Legislativa previa o pagamento parcelado do reajuste já a partir de outubro. O mês está chegando ao fim e nem a SEED, nem a equipe econômica do governo apreciaram a proposta, tampouco deram qualquer encaminhamento no trato da questão até o momento.

Desde o dia 5/10 que a comissão de negociação do SINTESE tenta discutir com os secretários Belivaldo Chagas, Oliveira Júnior (Planejamento, Orçamento e Gestão), João Andrade (Fazenda) a proposta aprovada pelos deputados, que também foi enviada pelo sindicato para o governador em exercício Jackson Barreto, para que possam tomar uma posição.

“Isso está nos cheirando a enrolação. Não há mais o que esperar. A categoria não pode mais aceitar esse tipo de postura por parte do governo. Sexta-feira nós teremos assembleia e vamos discutir encaminhamentos de luta com a categoria para enfrentar essa falta de sensibilidade em tratar questões que são importantes para os professores, que é o restabelecimento da carreira única e o reajuste de 22,22% para todos os níveis. O projeto aprovado na Assembleia aponta que é possível, bastando boa vontade do governo”, enfatiza Roberto Silva, da direção do SINTESE.