Administração de São Cristóvão reduz salários e agora ameaça professores

39
campanhasaocristovao 2013

campanhasaocristovao 2013

Em greve desde a última segunda-feira, 04, os professores da rede municipal de São Cristóvão recebem mais uma ameaça da administração de Rivanda Farias. A prefeita publicou decreto exonerando um grupo de professores, a justificativa é que houve abandono de emprego e não entrega do planejamento para 2013. O SINTESE já está entrando com um mandado de segurança para derrubar esse decreto.

Vale lembrar que não há justificativa para o abandono de emprego, pois de acordo com o calendário escolar, o ano letivo de 2013 da rede municipal de São Cristóvão só se iniciou dia 04 de março. Não houve convocação formal para que os educadores estivessem presentes todos os dias durante o mês de fevereiro nas unidades escolares e o planejamento das aulas não precisa ser feito necessariamente nas escolas.

Essa é mais uma ação da prefeitura no processo de destruição da carreira e da remuneração dos professores. Na audiência ocorrida na última terça-feira, dia 05, a prefeita Rivanda Farias e o secretário de Ações Parlamentares, Armando Batalha afirmaram ao promotor Fábio Pinheiro da Silva de Menezes que a administração municipal entrará com ação judicial alegando que a lei que reajustou o piso salarial nos anos de 2011 e 2012 é ilegal pois não levou em consideração a lei de responsabilidade fiscal.

Informações dão conta que a lei aprovada no último dia 21, faz com que os salários dos educadores retomem aos patamares de 2010. O corte da regência de classe, triênio e titulação faz com os salários dos professores tenham um corte de quase 75%.

Os professores continuam na luta, visitando os bairros, conjuntos e povoados dialogando com o povo de São Cristóvão sobre os motivos da greve.

A partir das 9h desta sexta-feira, 08, acontece assembleia da categoria no Centro Educacional Prado Meirelles. No sábado, dia 09, realizam panfletagem na feira livre.