Iran propõe que professores aposentados entrem na justiça para garantir direito ao Piso Salarial

69


 Aposentados também têm direito ao reajuste do pisoAposentados também têm direito ao reajuste do piso
Na manhã desta quarta-feira, 20, o professor e vereador Iran Barbosa (PT) participou da Plenária de Professores Aposentados promovida pelo SINTESE, no auditório da Caase/OAB.

Na oportunidade o vereador petista chamou a atenção para o fato de que o governo do Estado, ao desrespeitar a lei 11.738/2008, que regulamenta o direito ao Piso Salarial para o Magistério da Educação Básica, está desrespeitando, também, o direito que tem o professor aposentado de ter assegurado, em seus proventos, os benefícios da Lei.

“Ocorre que a Lei 11.738/2008 determina, em seu artigo 2º, §5º, que as disposições relativas ao Piso Salarial serão aplicadas a todas as aposentadorias e pensões dos profissionais do magistério público da educação básica. Isso não vem ocorrendo em Sergipe, porque o governo do Estado, através da Lei Nº 213/2011, resolveu restringir a política de pagamento do Piso Salarial do Magistério, aos profissionais de nível médio, o que excluiu os benefícios dessa política para os demais níveis de formação do magistério de educação básica, prejudicando, inclusive, os professores aposentados”, alertou Iran.

O Parlamentar defende, como educador, que o sindicato, através da sua assessoria jurídica, analise a possibilidade de acionar judicialmente o Estado de Sergipe para que os benefícios do Piso Salarial sejam extensivos a todas as aposentadorias e pensões como determina a lei.

“Já temos uma Ação proposta pelo nosso sindicato, através da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, contra a Lei 213/2011. O que proponho, agora, é que os aposentados assumam a titularidade em uma ação judicial que busque garantir os seus direitos com a implantação do Piso Salarial Profissional do Magistério. Não podemos aceitar que uma lei confirmada e reafirmada como plenamente válida pelo STF seja desrespeitada por manobras locais”, enfatizou ao vereador.

“O piso é um direito da carreira de todos os integrantes do Magistério Público da Educação Básica. O seu valor, que hoje tem que ser de R$ 1.567,00, é que está vinculado ao início da carreira e à formação de nível médio. Porém a sua aplicação tem que ter desdobramentos para os demais níveis de formação e para todas as aposentadorias e pensões, e isso não está sendo respeitado. A Justiça precisa prevalecer”, finalizou o professor Iran Barbosa.