Ana Lúcia participa de audiência com prefeito de Cristinápolis e o Sintese

69

Na tarde desta terça-feira, 9, a deputada estadual Ana Lúcia(PT) acompanhou a audiência do Sintese com o prefeito de Cristinápolis, pe. Raimundo da Silva, solicitada por ela após a prefeitura ter enviado para a Câmara dos Vereadores um projeto de lei que prejudica a carreira do magistério.

O PL foi aprovado na última terça-feira, 2, e através de decreto altera garantias como licença premio, a mudança de níveis e o letramento (tempo de carreira). A regência dos professores foi reduzida de 20% para 5%.

Para a presidenta do sindicato Angela Melo, o projeto representou um corte drástico na carreira. Tal ação desestruturou os professores de Cristinápolis, já que não houve diálogo entre a categoria e a gestão antes da chegada do projeto.

Com o decorrer da discussão foram elencados alguns problemas que colaboram para o inchaço na folha de pagamento, como o pagamento dos professores que se encontram lotados em outros setores e não estão em sala de aula. Além disso, hoje o município conta com 222 professores efetivos e 90 funcionários contratados entre professores e servidores, acima do necessário para a cidade.

A gestão apontou a necessidade de se aplicar um projeto que diminua o nível de analfabetismo no município, segundo ele, os alunos foram mal avaliados pelo IDEB, e é um número que vem crescendo.

“Não dá para culpabilizar o professor, o aluno e a família pela má avaliação e dificuldade de aprendizagem. A qualidade da educação é o conjunto, a administração também deve se envolver na qualidade da educação. O que observamos é que a universidade não prepara os professores para receber esses alunos em situação de pobreza”, analisou Ana Lúcia.

Solução

Algumas saídas foram cogitadas para a resolução dos problemas enfrentados pelos professores e pela gestão.

O prefeito afirmou a possibilidade de rever os decretos que retiram os direitos dos professores. E o Sintese em diálogo com a gestão propôs a formação de duas comissões para atuar com a equipe da prefeitura. Uma de gestão de carreira e outra pedagógica, a primeira irá estudar a folha de pagamento e o plano de carreira do município e a última irá estudar como aplicar a gestão democrática, chamada pública, cursos de formação e um projeto pedagógico democrático que vise superar as dificuldades de aprendizagem dos estudantes do município.

Os representantes das comissões serão votados após a Assembleia da categoria.