Museu da Gente Sergipana apresenta “Occupy Love”, documentário sobre diversos manifestos pelo mundo

72
“Tudo começou com a Primavera Árabe, no final de 2010. Depois, aberto o caminho das possibilidades utópicas, surgiram os Indignados na Espanha, o Occupy Wall Street em NYC e os mais variados Ocupas em todo o mundo, todos eles envolvidos por uma grande ideia comum: construir um pequeno laboratório de ‘impossibilidades’ cujo ingrediente básico trabalhado por todos é o próprio sentimento fundador de qualquer relação genuinamente social: o amor.

É a partir daí que o diretor Velc…row Ripper mergulha no que ele chama de “revolução do coração” para tentar entender “como a crise pela qual estamos passando poderia se tornar uma história de amor”.

Após o filme vai rolar um bate-papo com Thiago Rocha, que teve uma experiência de cinco meses com o Occupy Wall Street no ano passado e escreveu uma coleção de quatro livros sobre o movimento, sob o título geral “Reocupando a vida e reconstruindo a realidade”, cujo primeiro volume está no prelo e será lançado em breve. O principal objetivo do debate é relacionar a tendência geral desses movimentos com o que estamos vivenciando no Brasil (e em Sergipe) atualmente.”

Link do evento: http://on.fb.me/1dCyIDJ

Foto: "Tudo começou com a Primavera Árabe, no final de 2010. Depois, aberto o caminho das possibilidades utópicas, surgiram os Indignados na Espanha, o Occupy Wall Street em NYC e os mais variados Ocupas em todo o mundo, todos eles envolvidos por uma grande ideia comum: construir um pequeno laboratório de 'impossibilidades' cujo ingrediente básico trabalhado por todos é o próprio sentimento fundador de qualquer relação genuinamente social: o amor. É a partir daí que o diretor Velc...row Ripper mergulha no que ele chama de http://on.fb.me/1dCyIDJ” width=”843″ height=”526″ style=”height: auto; min-height: 100%; position: relative; width: 843px; top: -116px;”>