Alunos do C.E. Ofenísia Freire, no Augusto Franco, fazem protestos dias 14 e 15

68
assembleia alunos

assembleia alunos

Cansados de esperar a reforma da unidade escolar, por mais professores e funcionários, os alunos e atuais educadores do Colégio Estadual Ofenísia Freire  farão dois dias de atos públicos. O primeiro será na quarta-feira, dia 14. A concentração será às 8h em frente a escola, localizada no conjunto Augusto Franco. Na quinta-feira, dia 15, o ato será em frente ao prédio da Secretaria de Estado da Educação.

A realização dos atos foi decidida em assembleia realizada na escola no último dia 08. A informação de alunos e professores é que eles estão cansados de esperarem as providências.

O quadro de funcionários é insuficiente: faltam oficiais administrativos, executor de serviços básicos e merendeira. Com isso a limpeza da escola não é frequente e a alimentação escolar não é servida por falta alguém para prepara-la. A escola oferece os ensinos Fundamental e Médio a 789 alunos e faltam professores de Química, Física.

oficinacartaz

A estrutura física também é problemática. No último sábado, 10, parte do forro de PVC da sala onde funciona o 7º ano B desabou por causa das chuvas. Os professores contam que nessa época de chuvas ministrar aulas é um exercício de desvio de goteiras.

Como atividade de luta a comunidade escolar realizou no último sábado, 10, oficinas de cartazes. Os alunos construíram os cartazes que vão levar para os dois atos. Oficinas de música também estão sendo realizadas. 

RETRATO DO ABANDONO

Essa é a estrutura física do Colégio Estadual Ofenísia Freire. Por isso a comunidade escolar está indo as ruas. A escola localiza-se no conj. Augusto Franco e atende 789 alunos dos ensinos fundamental e médio nas modalidades normal e Educação para Jovens e Adultos.

{vsig}ofenisia2013/estrutura{/vsig}