SINTESE denuncia o fechamento de mais uma escola da rede estadual

187

Os professores da Escola Reunida Oratório Festivo João Bosco, localizada nas dependências do conhecido Oratório de Bebé no bairro Cirurgia, foram informados que em 2014 a escola não irá funcionar. 

A administração do oratório informou aos professores que não havia mais interesse em manter o contrato de comodato com o Estado e por isso as turmas não serão oferecidas. O atual contrato venceria em 2015. De acordo com dados do site da Secretaria de Educação a escola conta hoje 313 alunos.

Os professores estão angustiados, pois apesar da Diretoria de Educação de Aracaju afirmar que eles não ficarão sem trabalhar, não há garantia de que a escola para onde irão vão atender as necessidades.

Com essa ação em 2014 o bairro Cirurgia não terá escola pública da rede estadual que ofereça do 1º ao 5º ano. Pois as atividades já foram encerradas no Externato São Francisco, na Zizinha Guimarães e na Amélia Leite. A Escola São Domingos Sávio (que funciona dentro do prédio do Colégio Salesiano) também não abrirá matrículas para 2014.

O fechamento de turmas, turnos e escolas na rede estadual preocupa a direção do SINTESE e ainda é mais grave quando a própria Secretaria de Estado da Educação tem um entendimento equivocado ao afirmar que a rede estadual deveria ser responsável por somente as turmas do Ensino Médio. O parágrafo terceiro do artigo 211 da Constituição Federal é claro quando diz que “os Estados e o Distrito Federal atuarão prioritariamente no ensino fundamental e médio.”, mas o que tem acontecido é que a Secretaria de Estado da Educação tem transferidos alunos para a rede municipal. 

Considerando a forma como a educação é financiada no Brasil, tal transferência traz más consequências. As receitas da Educação são diretamente relacionadas ao número de matrículas, quanto mais alunos a rede estadual deixa de atender, menos recursos serão disponibilizados para manutenção das escolas e pagamento de salários dos professores e funcionários. 

Pedagogos sem ter onde trabalhar

Outra consequência nefasta do fechamento das turmas de 1º ao 5º ano é que em um futuro próximo os professores formados em Pedagogia ficarão sem local de trabalho.