SINTESE participa do 19º Curso Anual do Núcleo Piratininga de Comunicação

175
Durante quatro dias militantes, sindicalistas, comunicadores e estudantes debateram temas ligados à comunicação no Brasil e no mundo (Foto: Débora Melo – BA)

No período de 20 a 24 de novembro, militantes e direção do SINTESE participaram do 19º CursoDurante quatro dias militantes, sindicalistas, comunicadores e estudantes debateram temas ligados à comunicação no Brasil e no mundo (Foto: Débora Melo – BA) Anual do Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC), “Mídia e poder no Brasil e no mundo hoje”, que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro.  O curso reuniu comunicadores, sindicalistas, militantes e estudantes de todo país para debater de forma ampla e plural diversos temas ligados à comunicação.  

A Coordenadora do NPC, Cláudia Santiago, descreve o curso como um momento único. “Uma vez por ano, pessoas que fizeram os cursos do NPC nos seus estados se reúnem para pensar a comunicação necessária aos trabalhadores juntamente com aquelas e aqueles que consideramos as principais cabeças da Comunicação no Brasil”, afirma Cláudia.

Debates

No dia 20 a mesa de abertura trouxe o tema “A Comunicação e a resistência das classes populares no século XXI” e teve como debatedores o jornalista da TELESUR, Beto Almeida, e o historiador, escritor e ativista negro o Dr. Joel Rufino dos Santos.

Na mesa da noite os jornalistas Gilberto Maringoni, Breno Altman e Beatriz Bissio proferiram a palestra “A mídia da burguesia, a nossa e a formação de ideias”. Durante o debate foi dado destaque ao periódico ‘Cadernos do Terceiro Mundo’, uma publicação que existiu de 1974 a 2006 e que foi pioneira na inversão dos fluxos comunicativos, promovendo uma aproximação e um conhecimento mútuo entre os “países do Sul” – da América Latina, da África e da Ásia.

“Comunicação, Educação, Cultura e Ideologia”. Este foi o tema da abertura do segundo dia do Curso, debatido pelo professor Gaudêncio Frigotto (UFF), Andrelino Campos (UERJ) e Vito Giannotti (Coordenador do NPC). Na sequência foi discutido “Regulamentação das Comunicações”, com os jornalistas Altamiro Borges e Bia Barbosa e o Professor da USP Laurindo Leal. Encerrando os trabalhos do dia o delegado Orlando Zaccone, a professora de Comunicação e a militante do Grupo Tortura Nunca Mais, Cecilia Coimbra, trataram sobre o “Discurso do medo na mídia como controle social”.

No terceiro dia de curso o “Jornalismo, internet, cultura e mobilizações sociais” foi o tema norteador das apresentações. Renato Rovai, Carlos Latuff, Bruno Lima e Filipe Peçanha promoveram um momento ímpar ao discutirem Internet, juventude e mobilização social. À tarde para tratar da singularidade da Comunicação e cultura popular os participantes do curso contaram com a presença de Mano Teko, Adenilde Petrina e o Repper Fiell. No encerramento do dia, o jornalista e autor de “Marighella: o guerrilheiro que incendiou o mundo”, Mário Magalhaes, deleitou os presentes com o relato dos caminhos de construção da obra, casos da trajetória de Marighella e uma noite de autógrafos.

“A Comunicação dos trabalhadores no Brasil de Hoje” foi o tema do penúltimo dia do 19º Curso Anual do NPC, experiências de jornalistas de sindicatos, mídias alternativas, impressos e virtuais que mostraram a importância da integração da luta dos trabalhadores, e a necessidade de que a mídia da classe trabalhadora, não seja segmentada, categorizada, mas que sirva para a defesa da classe trabalhadora enquanto luta de classe e não de segmento trabalhista. No turno vespertino foram realizadas as oficinas que abordaram desde a Atualidade do pensamento de Gramsci até a Diagramação, passando pela Linguagem: a eterna muralha, Aplicações das mídias digitais na comunicação sindical, entre outras.

No domingo 24 de novembro o encerramento do 19º Curso Anual do NPC se deu com a apresentação do documentário ‘1964 – Um golpe contra o Brasil’. Foram debatedores do espaço o autor do documentário, jornalista e ex-preso político, Alípio Freire, o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mauro Iasi e Vito Giannotti.

O 19º Curso Anual do NPC busca fazer com que os participantes revejam seus conceitos sobre comunicação de massa e para a massa, e acima de tudo busquem compreender os interesses que envolvem a mídia difundida e financiada pela e para a burguesia. Cláudia Santiago sintetizou muito bem ao colocar que “pensar a comunicação dos trabalhadores passa por compreender a comunicação da classe dos patrões e conhecer bem a própria classe trabalhadora, sua história, sua memória, seus desejos, suas lutas. Passa por aprender a ler o mundo e ajudar seus pares a fazer esta leitura também”, finalizou.