Alunos da Escola Estadual Olga Barreto exigem reforma urgente

170

A aula do turno da manhã na Escola Estadual Olga Barreto foi de cidadania. Os alunos e a comunidade do entorno da escola fizeram um ato público exigindo a reforma do estabelecimento de ensino e o término da obra da quadra. A unidade escolar está localizada no bairro Eduardo Gomes, foi inaugurado em 1984 e só passou por uma reforma em quase 30 anos de fundação.

“Estudei aqui, meus filhos estudaram aqui e tenho duas netas que estudam aqui. Essa escola não pode acabar”, disse Eribaldo Nunes. Eribaldo Nunes

Há reclamações do matagal no entorno da escolar, da infestação de roedores e insetos, das janelas quebradas e também da alimentação escolar. “A gente já viu rato aqui tão grande que parecia gato. Vários alunos também já encontraram escorpiões aqui na escola”, disse Débora Costa, aluna do sétimo ano no turno da noite. 

A interrupção da obra de reforma da quadra (que começou no mês de agosto) também gerou desagrado e indignação nos alunos. “A escola da gente já não está boa e para piorar a obra da quadra também parou, não temos onde fazer aula de educação física”, disse Mariana dos Santos, aluna do sexto ano no turno da manhã.

Maria Nazaré Peroba já teve filhos e agora os netos estudam na Escola Estadual Olga Barreto e ela lamenta a situação da escola e também reclamou que uma das netas já passou mal depois de comer broa.

Maria Nazaré Peroba

A professora Cláudia Barreto, diretora do departamento de Base Estadual do SINTESE trabalha na escola e corroborou com as reclamações dos alunos e comunidade escolar. “Vamos tentar marcar uma audiência com o secretário Belivaldo Chagas para buscar uma solução para nossa escola”, apontou.