Estudantes não têm merenda, limpam salas e ainda sofrem com falta de estrutura em escola estadual de Tobias Barreto

49

Há um ano os estudantes do Colégio Estadual Abelardo Barreto do Rosário, em Tobias Barreto, estão sem alimentação escolar nos três turnos de funcionamento da unidade de ensino (manhã, tarde e noite). Esta situação se deu porque não há merendeiras para executar o serviço.

Mesmo sendo a maior escola de Tobias Barreto, o Colégio Estadual Abelardo Barreto do Rosário conta apenas com dois auxiliares de serviços gerais para realizar a limpeza de todo o colégio. Devido a isso, muitas vezes são os próprios estudantes que limpam as salas para que possam assistir suas aulas em um ambiente adequado. 

De acordo com dados disponíveis no site da Secretaria de Estado da Educação (SEED), ao todo 1.054 alunos estudam no Colégio Estadual Abelardo Barreto do Rosário, sendo 209 matriculados do 6º ano ao 9º ano (ensino fundamental) e 845 matriculados no ensino médio.

Desde o início de 2014 a direção do Colégio envia ofícios a Secretaria de Estado da Educação solicitando merendeiras, auxiliares de serviços gerais e, também, vigilantes e auxiliares administrativos.  No entanto, até o momento a SEED não atendeu aos pedidos, o que tem prejudicado bom desempenho das atividades pedagógicas e administrativas da unidade de ensino.

Reforma

Com 31 anos de existência o Colégio Estadual Abelardo Barreto do Rosário nunca havia passado por uma reforma profunda em sua estrutura física. No começo de 2014, após muita pressão da comunidade escolar, o Governo do Estado realizou reforma no telhado do Colégio, que estava caindo aos pedaços.

Além do telhado, as pilastras de sustentação do prédio também estavam severamente comprometidas por profundas rachaduras e necessitavam de reforma urgente. Mas ao invés de refazer a estrutura das pilastras, para assegura que de fato elas não viessem a ceder, a empresa encarregada pela obra apenas rebocou as pilastras e escondeu as rachaduras. Com isso, a preocupação da iminência de um acidente, devido à precária estrutura das pilastras, ainda assola a direção e professores da unidade de ensino.

Estrutura da escola

Os 1.054 estudantes do Colégio Estadual Abelardo Barreto do Rosário não contam com quadra poliesportiva para prática de esportes. Além disso, dados disponibilizados pela SEED mostram que o Colégio não tem biblioteca, sala de reforço, sala de recursos e laboratório científico.

“É inadmissível os alunos ficarem sem alimentação escolar porque não há merendeiras ou terem que limpar as salas porque faltam executores de serviços gerais. É inadmissível também reformas pela metade e falta de estrutura. A situação do Colégio Estadual Abelardo Barreto do Rosário já foi levada diversas vezes ao conhecimento da SEED que parece ignorar. O papel do governo do estado é assegurar aos estudantes um ambiente escolar limpo, bem equipado, conservado e com espaços adequados para o desenvolvimento das atividades pedagógicas, mas infelizmente não é isso que vemos no Abelardo Barreto do Rosário”, denuncia o coordenador da subesede do SINTESE na região Centro Sul, professor Estéfane Lindeberg