Reajuste do piso 2015: Governo não respondeu solicitação de audiência do SINTESE

38
manchete espera audiencia

Até o momento nem o governador Jackson Barreto e nem o secretário manchete espera audienciade Educação, Jorge Carvalho responderam aos ofícios enviados pelo SINTESE nos dia 09, 15 e 23 de janeiro solicitando audiência para tratar das questões relativas à Educação (incluindo o reajuste do piso e a construção do Plano Estadual de Educação).

 “Nossa preocupação é com a Educação de forma ampla, e isso envolve a valorização dos professionais do magistério, a melhoria na estrutura física das escolas, maior oferta de material didático-pedagógico, formação continuada para os educadores, por isso sempre primamos pelo diálogo com os gestores com o objetivo de superar os graves e históricos problemas estruturais da rede estadual de educação. Tais problemas penalizam não só os professores, mas também os funcionários das escolas e toda a classe estudantil”, aponta a presidenta do SINTESE, Ângela Maria de Melo.

Com isso o sindicato repudia as falsas informações que tem circulado nas redes sociais de que o reajuste do piso já tenha sido negociado. Como tem sido prática da direção do SINTESE, logo que o Governo do Estado receber o sindicato e apresentar a proposta de negociação do reajuste do piso, o sindicato irá convocar assembleia para informar a categoria e, se necessário, deliberar encaminhamentos de luta.

Quase 100 ofícios

Nos anos de 2013 e 2014, o SINTESE protocolou aproximadamente 80 ofícios que apresentavam problemas que foram detectados não somente pelo sindicato e por suas lideranças, mas também cartas de pais de alunos que reivindicavam a não municipalização de escolas, dezenas de registros fotográficos que relatavam as péssimas condições em que diversas escolas no Estado se encontram e também os casos de violência que assombraram a comunidade escolar, principalmente na região da Grande Aracaju.

Reivindicações do magistério da rede estadual

A direção do SINTESE solicita ser recebida pela nova gestão da Secretaria de Estado da Educação para garantir espaço para discussão e negociação das principais reivindicações do magistério estadual que são:

  1. Investimentos em ações que promovam a melhoria da estrutura física das escolas;
  2. Implementação da Gestão Democrática;
  3. Reajuste do Piso para 2015 e pagamento do passivo trabalhista gerado pelo não reajuste do valor do piso em 2012;
  4. Revogação da Lei Complementar 213/2013 (lei que dividiu a carreira do magistério);
  5. Realização de Chamada Escolar;
  6. Racionalização e transparência na aplicação dos recursos destinados ao financiamento da Educação;
  7. Discussão de alternativas para capitalizar o SergipePrevidência;
  8. Discutir, conjuntamente com outras secretarias e setores do Governo, alternativas para enfrentar a violência social que cada vez mais tem como foco as escolas, os professores e estudantes.