Carta dos professores das escolas estaduais em greve à população de Sergipe

35

A triste realidade de desmandos e abandono das escolas estaduais de Sergipe, por parte do Governo Jackson Barreto, serve para negar ou “ofertar de faz de contas” o DIREITO À EDUCAÇÃO aos filhos e as filhas do nosso Povo. Infelizmente tudo não passa de propaganda e enganação. Isso é lamentável porque tira das nossas crianças, adolescentes e jovens o presente e o futuro.

Infelizmente, os recursos não são bem aplicados para garantir escolas com estrutura física adequada, os prédios escolares não são bem equipados e não é feita manutenção, faltam recursos didáticos para o desenvolvimento das atividades pedagógicas e, constata-se que AS UNIDADE DE ENSINO FUNCIONAM SEM PROPOSTA PEDAGÓGICA.

Traduzindo em miúdos a realidade educacional de Sergipe: O Governo faz propaganda enganosa, os(as) professores(as) são desvalorizados(as) e os estudantes são prejudicados, pois lhes é negado, por nossos governantes, ensino dentro dos padrões nacionais de qualidade para todos e todas. O pior ainda vai acontecer: O Secretário da educação, Jorge Carvalho, que entregar todas as escolas estaduais de ensino fundamental aos prefeitos.

Na maioria dos municípios sergipanos, encontramos escolas estaduais sucateadas e abandonadas – consequência direta da falta de competência do Governo Estadual em adotar uma política séria que assegure a manutenção permanente das unidades de ensino: os prédios escolares estão feios e sujos, as carteiras e os ventiladores são quebrados, existem infiltrações por todos os cantos, há rachaduras nas paredes e nas lajes, os problemas elétricos são graves e faltam quadras esportivas cobertas ou nem existem. Lixeiras, carteiras quebradas e matagal ocupam o espaço destinado ao lazer e a prática esportiva dos estudantes.

O caos atualmente existente nas escolas estaduais provoca como consequência o desestímulo pelos estudos nos filhos e nas filhas do Povo de Sergipe. A Secretaria de Estado da Educação virou há muito tempo um balcão para as negociatas e o clientelismo político. Atualmente o único alimento servido aos estudantes é broa e suco de caixa. Não é de se espantar que toda essa politicagem maldita tenha feito explodir os casos de violência nas escolas estaduais.

É importante entender que a valorização dos professores e professoras, ocorre através da garantia de direitos que lhes são assegurados, como o reajuste anual do Piso Salarial e progressão na carreira profissional. O Governo Jackson Barreto humilha, maltrata, desrespeita e nega esses direitos dos Educadores e Educadoras dos estudantes sergipanos.

Ao invés de resolver todos esses problemas a “turma” do Governador Jackson Barreto usa as emissoras de rádios e televisão para atacar, humilhar, criminalizar e jogar a população contra os professores e professoras. A greve prejudica a toda a comunidade escolar: os(as) alunos(as), porque ficam sem estudar; os(as) professores(as), porque vão ter que trabalhar dobrado para repor depois todas as aulas dos dias da greve; e as famílias, porque ficam com seus filhos e filhas em casa sem estudar.

A luta dos Professores e das Professoras é justa e necessária, pois é para que possa ter em Sergipe escolas públicas estaduais que assegurem ensino público de qualidade e Profissionais da Educação valorizados com seus direitos respeitados e garantidos.

Aracaju(SE), maio de 2015
Diretoria Executiva do SINTESE