Moção de apoio da CUT/SE a greve dos professores da rede estadual de Sergipe

55

A direção da Central Única dos Trabalhadores em Sergipe – CUT/SE, reunida no dia 23 de maio aprovou moção de apoio a greve dos professores da rede estadual, organizada pelo SINTESE, que lutam por valorização e melhores condições de trabalho. A CUT/SE entende que o piso salarial é uma conquista importante dos educadores brasileiros que vem sendo negado pelos gestores públicos com a conivência do PoderJudiciário que ao invés de punir os governantes que negam o direito ao piso, criminaliza os professores nas justas greves por esse direito.

A CUT/SE repudia a atitude antidemocrática e antiética do governo Jackson Barreto que se nega a realizar o pagamento do piso salarial e pede a ilegalidade da greve dos professores. Ao mesmo tempo, o governo, com apoio de grande parte dos meios de comunicação do Estado implementa uma campanha difamatória contra os professores para tentar fazer com que a sociedade sergipana pense que a luta dos educadores é injusta.

Diante da realidade, a CUT entende a necessidade da urgente democratização dos meios de comunicação no Brasil para evitarmos o que hoje vivenciamos em Sergipe. As mentiras do governo Jackson, mesmo combatidas pelo SINTESE, têm eco na imprensa, pois a intenção do governo é criminalizar a greve dos professores.

A CUT entende, também, que a regulamentação da Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho que obriga a negociação coletiva no serviço público será um passo importante para tentar equilibrar as relações nas negociações entre os sindicatos que representam os trabalhadores do serviço público e os gestores que insistem, com a proteção do Poder Judiciário, em negar o direito a revisão salarial anual, previsto na Constituição Federal, bem como ao piso salarial, no caso do magistério.

A criminalização das greves pelo Poder Judiciário, deixa claro que os trabalhadores precisam intensificar a luta pela democratização do poder judiciário com efetivo controle social e eleição direta para os cargos de Desembargador dos Tribunais de Justiça dos Estados e Ministros dos Tribunais Superiores. A justiça no Brasil tem lado e não é o do trabalhador!

É nessa direção que a Central Única dos Trabalhadores de Sergipe reafirma o apoio a luta dos educadores sergipanos por uma educação pública de qualidade social para todos e todas e repudia a ação do Governo Jackson Barreto que busca criminalizar a luta dos educadores sergipanos.

Direção Estadual da CUT/SE