Nota de apoio do Movimento Nacional dos Direitos Humanos de Sergipe à luta dos professores

55

O Movimento Nacional de Direitos Humanos de Sergipe (MNDH/SE), articulação que congrega diversas entidades de defesa de direitos humanos da capital e do interior, vem a público manifestar seu total e irrestrito apoio à luta dos trabalhadores da educação de Sergipe, representado pelo SINTESE – Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Sergipe.

 

 

Para o MNDH/SE, urge a necessidade de levantarmos todas e todos juntos a bandeira por uma educação pública de qualidade. Somos testemunhas de que para além das questões salariais, que também são extremamente justas, o SINTESE vem a algum tempo se esforçando para chamar a atenção das várias denúncias que colocam em evidência o total descaso em relação a estudantes, merendeiras, serviços gerais, familiares, comunidade em geral, etc.

 

Como exemplo, recentemente o SINTESE promoveu duas ações que merecem destaque na luta pela educação pública de qualidade em Sergipe: 

1 – Realizou uma grande marcha em favor da educação pública. A marcha ocupou toda a Avenida Sílvio Teixeira e parte da Avenida Hermes Fontes, com mais de 10 mil integrantes de todas as áreas, a saber, professores, movimentos estudantis, sociais, sindicais, militantes, jornalistas, advogados, assistentes sociais, quilombolas, grupos hip hop, famílias de estudantes, transeuntes, etc. No decorrer das avenidas as faixas sinalizavam um clamor em defesa do chão da escola, da melhoria das condições de aprendizado para os estudantes e condições de trabalho dos diversos profissionais que integram a equipe pedagógica da escola pública. 

 

2 – Articulou um espaço de discussão permanente no formato do Fórum de Educação cujo objetivo principal é a ouvida, interlocução e construção conjunto-coletiva para além da categoria dos professores, a luta constante de todos os setores, pela educação pública de qualidade. Não bastasse, o sindicato tem apoiado as pautas em favor dos direitos humanos, seja em relação às iniciativas da juventude, criança e adolescente, luta pelas questões de moradia do campo e da cidade, quilombolas, etc.

 

Nesse momento nós que compomos o coletivo MNDH-SE, nos solidarizamos com a luta dos professores. Entendemos que dos salários das profissões, a remuneração do professor deveria ser o mais valorizado, pois é este profissional quem forma o juiz, o médico, o radialista, o doutor, o vereador, o prefeito e o governador…é o/a professor/a que convive com o dia-a-dia das mazelas provocadas pela consequente falta de investimento nas políticas públicas básicas como cultura, educação, saúde, assistência social e segurança pública. Todas políticas públicas de direitos humanos. E além de tudo é criminalizado como inimigo por alguns gestores públicos. Essa criminalização que leva o governo a agredir também fisicamente trabalhadores não é exclusividade do Paraná, em que os professores foram submetidos a tantas humilhações e situações vexatórias. Estas ocorrem em vários Estados, incluindo Sergipe.

 

Aos que corroboram em manchar a imagem de tão honrada categoria ao comprarem e propagarem o discurso do governo, através de uma parcela da mídia sensacionalista que disparam os argumentos de que os professores são os inimigos dos estudantes e da sociedade, saibam que apesar de usarem o nosso dinheiro, que é público, com propagandas enganosas, a sociedade sabe que os professores são aguerridos, são lutadores e terá nosso total e irrestrito apoio!

 

Por uma educação pública de qualidade! Pela valorização dos professores e do piso salarial! Pela valorização da gestão democrática nas escolas com a participação protagonista dos estudantes, familiares e toda comunidade escolar! Pelo reconhecimento da necessidade da ampliação da escola aberta para a comunidade e vice-versa, apoiamos a luta dos trabalhadores da educação de Sergipe. 

 

28 de maio de 2015. Movimento Nacional de Direitos Humanos de Sergipe