Rede estadual: Sem proposta, educadores permanecem em greve

41

Os professores da rede estadual reunidos em assembleia na tarde desta quinta-feira decidiram manter a greve da categoria iniciada no dia 18 e a ocupação ao Palácio de Despachos.

A frustração pela falta de propostas para cumprimento da pauta de reivindicações por parte do governo e a indignação pelas ameaças a que têm sido submetidos fizeram com que os educadores mantivessem o movimento grevista.

Como agenda de lutas os educadores decidiram:

12/6 – 7h da manhã – Ato em frente ao Cariri  pois o governador estará apresentando a programação do Encontro Nordestino de Cultura

No mesmo dia às 9h encontro com o coordenador do setor jurídico do SINTESE, Franklin Magalhães  ele estará na ocupação do Palácio de Despachos dirimindo dúvidas, principalmente dos professores em estágio probatório, sobre seus direitos. 

Oficinas e debates

No sábado, 13, a partir das 14h, também na ocupação debate e oficina sobre Redução da Maioridade Penal ministrados por Lídia Anjos e Thiago Oliveira do Movimento Nacional de Direitos Humanos. Essa atividade está aberta a todos e todas.

A próxima assembleia será na terça-feira, 16, às 9h em frente ao Palácio de Despachos.

 

Ato no Tribunal de Justiça

Na próxima quarta-feira, 17, os educadores voltam a ocupar a praça Fausto Cardoso em frente ao Tribunal de Justiça para acompanhar a votação pelo pleno, do agravo de instrumento, a ação impetrada pelo SINTESE que contesta a decisão do desembargador José dos Anjos que decretou a greve ilegal.