Professores de Itaporanga completam 21 dias de greve sem perspectiva de negociação

72

A greve dos professores da rede municipal de Itaporanga d’Ajuda completa nesta segunda-feira (17) vinte e um dias e até o momento a prefeita Maria das Graças Souza Garcez (conhecida como Gracinha) se recusa a abrir canal de diálogo e negociação com a categoria. Diversos ofícios foram enviados pelo SINTESE solicitando a marcação de audiência, mas a resposta da prefeita tem sido o absoluto silêncio.

“A prefeita Gracinha não está nem indo à prefeitura para trabalhar. Ela tem evitado qualquer contato como professores. Estamos passando o dia na prefeitura com esperança que em algum momento a prefeita nos atenda em audiência. No entanto, nada aponta para isso”, revela o diretor de Bases Municipais de SINTESE e professor da rede municipal de Itaporanga, Ulison Menezes.

Os professores farão ato nesta quinta-feira, 20, e sexta-feira, 21, na Câmara de Vereadores para expor a situação da educação no município.

Principais problemas

Além da falta de diálogo, os professores de Itaporanga sofrem com as péssimas condições de trabalho e com a negação de direitos. As escolas do município estão caindo aos pedaços e precisam de reformas urgentes para assegurar condições de acesso e permanência aos estudantes.

Até a presente data a prefeitura ainda não concedeu o reajuste do piso salarial de 2015 aos professores do município. O reajuste do piso é assegurado pela Lei Federal 11.738/2008 e deve ser garantido anualmente a todos os professores da rede pública do Brasil, sempre no mês de janeiro.

De maneira arbitrária a prefeita parou de pegar aos professores a gratificação por mudança de nível. A adoção de tal medida demostra que a prefeitura de Itaporanga não valoriza os professores que buscam aperfeiçoar seus conhecimentos a partir do estudo.

A falta de transparência com os recursos públicos tem sido outro motivo de preocupação e questionamento entre os professores. A prefeitura não apresenta as folhas de pagamento da educação para que seja verificado se os recursos destinados à pasta estão sendo devidamente utilizados.