Escuridão causa medo à comunidade escolar e aulas são suspensas

52
A entrada do Colégio Estadual 24 de Outubro completamente sem luz

A escuridão toma conta do Colégio Estadual 24 de outubro, localizado no bairro 18 do Forte, em A entrada do Colégio Estadual 24 de Outubro completamente sem luzAracaju, devido a isso as aulas do turno da noite foram suspensa. A falta de luz é total na área externa do Colégio e em alguns pontos na área interna, a situação gerou uma onda de insegurança e medo entre estudantes, professores e funcionários.

Para evitar atos violentos contra a comunidade escolar, uma vez que a escuridão facilita a ação de bandidos, a solução encontrada pelo corpo diretivo do Colégio foi paralisar as atividades da noite, o que traz prejuízos para estudantes e professores. As últimas aulas do turno da tarde também estão sendo prejudicadas pela falta de energia.

O mais intrigante nesta situação é que o Colégio 24 de outubro passou por uma reforma recentemente. A parte elétrica do Colégio deve ser reparada com urgência, pois além dos problemas descritos, há sérios riscos de incêndio. A Secretaria de Estado de Educação (SEED) tem ciência do fato, mas até o momento não tomou providências para solucionar os problemas, que se arrastam há alguns meses.

O mesmo cenário

Mas os problemas do Colégio Estadual 24 de outubro não findam somente na parte elétrica. FaltamOs corredores da escola também estão sem iluminação executores de serviços básicos no turno da tarde, com isso os estudantes da noite chegavam e, além de enfrentar a escuridão da área externa e dos corredores da unidade de ensino, tinham que estudar em salas sujas, tomadas pelo lixo.

A alimentação escolar servida aos estudantes do 24 de outubro se resume a lanches prontos, broa com goiabada é oferecida praticamente todos os dias aos estudantes, acompanhada de uma caneca de “suco” de caixinha, alimentos de baixo teor nutricional, que vão de encontro ao preconizado pelo Programa Nacional de Alimentação Escola (PNAE).

“Falta de luz, sujeira, alimentação escolar inadequada. O cenário encontrado no Colégio Estadual 24 de Outubro é comum a um grande número de escolas da rede estadual de Sergipe. A política do abandono tem sido marca da gestão de Jorge Carvalho a frente da SEED. O SINTESE diariamente recebe denúncias vindas de todas as regiões do estado que apontam o descaso como o qual o governo de Sergipe, por meio da SEED, tem tratado a educação. As denúncias que chegam ao Sindicato são levadas ao Ministério Público para que o órgão exija do governo do estado medias que sanem os problemas. Não se faz educação de qualidade, não se obtém resultados, com professores desvalorizados, estudantes mal alimentados e escolas caindo aos pedaços”, ressalta o diretor do departamento de Base Estadual do SINTESE, professor Roberto Silva.

O SINTESE encaminhou ofício ao Ministério Público Estadual denunciando a situação do Colégio Estadual 24 de outubro.