“Esse vai ser o pior final de ano da minha vida”

40

A fala da professora aposentada Ana Lúcia Santos resume o sentimento coletivo das professoras aposentadas e dos professores aposentados que participaram do ato público “Natal da Miséria” realizado pelo SINTESE em frente ao Palácio de Despachos.

“Em mais de 25 anos de trabalho e agora como aposentada nunca passei uma situação tão difícil. A ceia de natal está praticamente cancelada e olha que não estou falando de fartura, estou falando do essencial”, continua a professora.

Os aposentados e pensionistas só tem a perspectiva de receber o 13º em seis parcelas, caso não recorram a um empréstimo, a partir dos proventos de janeiro. Como eles têm recebido com atraso, estamos falando de ver a cor do dinheiro somente no mês de fevereiro.

“Ficamos sem décimo terceiro e nossos proventos de dezembro só vão sair em janeiro. Mais uma vez os aposentados são os mais penalizados”, disse a diretora do departamento de Aposentados do SINTESE, Ana Geni Andrade.

Ela relata também que há professores sofrendo com depressão. Desde julho que os aposentados começaram a receber seus proventos de forma parcelada. A partir de outubro a situação piorou, pois se passou a receber com atraso.

“É nesse momento que mais precisamos dos nossos proventos, pois temos que além de comprar alimentos e manter as nossas casas, temos remédios para comprar. Nossa saúde está em risco”, aponta Maria Luci Lima Santos, também diretora do Departamento de Aposentados do SINTESE.

Nova ação judicial

Na última sexta, 18, o desembargador Cesário Siqueira extinguiu o mandado de segurança impetrado pelo SINTESE. A liminar, que foi concedida pela juíza Simone Fraga, determinou que o Sergipe Previdência pagasse os proventos dos aposentados dentro do mês.

O Sergipe Previdência recorreu da decisão liminar afirmando que não podia pagar cumprir com essa determinação por que o Governo do Estado não está efetuando o repasse da complementação dentro do mês.

O desembargador entendeu que a ação devia ser proposta também contra o Governo do Estado.

No entendimento do SINTESE a ação contra o governo do Estado deve ser impetrada pelo Sergipe Previdência já que a dívida do Estado é com esse órgão ao não fazer o repasse dentro do mês como determina a legislação.

Apesar disso, o SINTESE vai protocolizar novo Mandado de Segurança citando o Sergipe Previdência e o Governo do Estado.