Gararu, Cedro de São João e Campo do Brito pagam salários de janeiro, mas deixam dezembro em aberto

38
Ilustração do blog FalhaPE

Ilustração do blog FalhaPE

Os professores das cidades de Gararu, Campo do Brito e Cedro de São João vivem uma situação que, infelizmente, tornou-se muito comum na virada de ano, até o momento não receberam os salários relativos ao mês de dezembro.

Em Gararu os educadores foram surpreendidos nesta terça, 02, com o pagamento referente ao mês de janeiro, mas até o momento a administração municipal não apresentou perspectivas de pagamento do mês de dezembro.

Em Campo do Brito a prefeitura pagou o salário de janeiro e o prefeito, a partir de várias solicitações da comissão de negociação do SINTESE no município, agendou audiência para o próximo dia 10 para informar como vai pagar o salário de dezembro.

Cedro de São João conseguiu tornar a situação ainda mais esdruxula, pois pagou o salário de janeiro com o reajuste do piso do ano de 2016, mas vai parcelar o salário de dezembro em cinco parcelas.

Por tais situações é que o SINTESE reuniu no último sábado, dia 30 de janeiro, os educadores das cidades com atrasos de salários e outras pendências trabalhistas para traçarem ações de luta e reafirma o seu louvor a ação do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe que proibiu a realização de festas e gastos com publicidade para divulgação de obras e programas governamentais.

“É inaceitável ver as prefeituras gastando recurso público com festas enquanto famílias inteiras de professores e servidores públicos municipais passam por dificuldades”, aponta Sandra Moraes, diretora do Departamento de Assuntos das Bases Municipais do SINTESE.