‘Devo não nego, pago quando puder’: prefeito do Campo do Brito lança proposta indecorosa a professores

68

Até a presente data professores e servidores técnicos da educação de Campo do Brito não receberam o Prefeito quer começar a pagar salário de dezembro 2015 a professores no dia 31 de marçosalário de dezembro de 2015. Além do salário de dezembro, alguns professores não receberam integralmente a remuneração de férias referente a janeiro de 2016. O prefeito Alexsandro Menezes da Rocha (conhecido como Léo Rocha) pagou o salário de janeiro, dividido em duas vezes.

Nesta sexta-feira, 12, o prefeito Léo Rocha recebeu, em audiência, a comissão de negociação do SINTESE para tratar sobre as dívidas da prefeitura com a educação. O prefeito se comprometeu a pagar o restante das férias de janeiro aos professores que ainda não receberam.

Em relação ao salário de dezembro, Léo Rocha, disse que pagará os servidores técnicos da educação no dia 10 de março. Para os professores o prefeito fez uma proposta ainda mais indecente: pagar o salário de dezembro 2015 de forma parcelada, sendo que a primeira parcela seria paga no dia 31 de março.

Já sobre as demais parcelas, o prefeito colocou que não poderia definir em quantas vezes nem quando pagaria o restante, pois tudo iria depender dos recursos do munícipios.

Assembleia

Em assembleia ocorrida na tarde desta sexta-feira, 12, os professores da rede municipal de Campo doEm assembleia professores deliberaram paralisar atividades caso o prefeito não pague o salário de dezembro 2015 até o dia 1º de março Brito decidiram rejeitar a vergonhosa proposta do prefeito e elaboraram uma contraproposta que será encaminhada ao gestor do munícipio.

Os professores querem que a prefeitura pague o salário de dezembro de 2015 de forma integral antes do início do ano letivo de 2016, previsto para o dia 1º de março. Caso a prefeitura não pague até lá o indicativo por parte dos professores é paralisar as atividades por tempo indeterminado.

“O salário é um direito inalienável do trabalhador. Nenhum gestor público pode reter salários por qualquer que seja o motivo. Não vamos aceitar parcelamento, muito menos a perder de vista. É no mínimo vergonhosa a proposta do prefeito. Queremos o salário de dezembro já, chega de tanta humilhação”, coloca a coordenadora de comunicação da subsede do SINTESE na região Agreste e professora da rede municipal de Campo do Brito, Nadja Milena.  

Luto

Durante a assembleia os professores de Campo do Brito fizeram um minuto de silêncio em homenagem aos professores do município de Frei Paulo, Acácio Militão e Filadélfio Brandão, que faleceram esta semana.