Magistério das cidades de Gararu, Feira Nova e Graccho Cardoso em greve

148
Concentração da Caravana da Educação em Gararu no último dia 28 de março

Concentração da Caravana da Educação em Gararu no último dia 28 de março

Os professores das redes municipais de Feira Nova, Gararu e Graccho Cardoso estão em greve. Os motivos da interrupção das atividades nos três municípios são os mesmos: falta de reajuste do piso para 2016, melhores condições de trabalho, alimentação e transporte escolar de qualidade e também o pagamento de passivos trabalhistas.

Em Feira Nova os educadores decidiram, em assembleia realizada na última segunda, 28, continuar a greve iniciada no dia 14. O magistério irá aguardar até o diz 12 de abril, prazo dado pela administração do prefeito Jonathas Oliveiras Santos, a proposta

Desde o dia 14 de março que os educadores da rede municipal de Feira Nova paralisaram as atividades, os motivos: falta de reajuste do piso, contra o parcelamento dos salários, não pagamento das férias, problemas na alimentação escolar e falta de condições de trabalho.

A administração de Feira Nova deve ao magistério:

  • Reajuste do piso de 2016;
  • Retroativos do reajuste do piso referentes aos anos de 2013 (janeiro a junho) e 2014 (janeiro a junho);
  • Passivos trabalhistas referentes ao salário de dezembro e o 13º do ano de 2012;
  • Férias (1/3 e 1/6) dos anos de 2013, 2014, 2015 e o 1/3 de 2016.

Graccho Cardoso

Já em Graccho Cardoso a greve teve início na última segunda-feira, além da óbvia precariedade na infraestrutura das escolas e a má qualidade na alimentação e transporte escolar os educadores também têm que administrar o caos financeiro promovido pela administração de José Nicárcio de Aragão, o Cassinho da Quixabeira, o mesmo que mentiu para o Tribunal de Contas ao dizer que não tinha dívidas com o magistério com o objetivo de realizar festejos carnavalescos.

A administração de Graccho Cardoso deve ao magistério:

  • Salário de dezembro de 2015;
  • 1/6 ferial de 2015;
  • 13º salário de 2012;
  • Retroativos do reajuste do piso de 2012 (janeiro a abril), 2013 (janeiro a julho), 2014 (janeiro a julho), 2015 (janeiro a julho).

Gararu

Na última segunda, 28, os professores realizaram a Caravana do Direito à Educação para dialogar com a população os graves problemas educacionais do município, como também as medidas adotadas pelo prefeito para negar o reajuste do Piso Salarial e o pagamento dos direitos previstos em lei. A caravana visitou as comunidades Palestina e Lagoa do Porco.

Até o momento os educadores não receberam o equivalente a gratificação de férias (1/3)  que deveria ter sido paga em janeiro.

Além de não pagar o reajuste do piso de 2015 e 2016, a administração de Antônio de Albuquerque tem pagado férias e 13º desde o início de sua gestão sem considerar a legislação vigente, trazendo perdas financeiras para os educadores e educadoras. 

Encontro

As prefeituras de Feira Nova, Gararu e Graccho Cardoso estão entre as 52 que ainda não reajustaram o piso do magistério para o valor estabelecido em 2016 (R$2.135,64).

Diante da falta de abertura do canal de negociação por parte das prefeituras, o SINTESE fará, no próximo dia 7 de abril, a partir das 8h o Encontro das Comissões de Negociação dos Municípios que não Reajustaram o Piso. O encontro acontece em Aracaju, no salão Espaço, na Rua Laranjeiras – 830.