Diretor da DRE 04 impede dirigentes do SINTESE de participarem de reunião em escola estadual

40
As dirigentes do SINTESE, professora Cláudia Oliveira e professora Emanuela Pereira, mesmo sendo convidadas pelos professores a participar da reunião, foram impedidas de entrar na sala e ficaram esperando do lado de fora

O fato aconteceu em Maruim, no Colégio Estadual Felipe Tiago Gomes. A diretora do departamento de As dirigentes do SINTESE, professora Cláudia Oliveira e professora Emanuela Pereira, mesmo sendo convidadas pelos professores a participar da reunião, foram impedidas de entrar na sala e ficaram esperando do lado de forabase estadual do SINTESE, Claudia Oliveira, e a coordenadora de formação e assuntos educacionais da subesede do SINTESE na região do Vale do Cotinguiba, professora Emanuela Pereira, foram barradas pelo diretor regional da educação da DRE 04, José Almeida, de participar de reunião que ocorria no Colégio Felipe Tiago, na quarta-feira, 30.

As dirigentes sindicais haviam sido convidadas pelos professores a participar da reunião na unidade de ensino. Mas ao chegarem ao local o diretor da DRE 04, José Almeida, as impediu de entrar alegando que aquela seria uma reunião administrativa.

O diretor da DRE 04 mandou que alguém ficasse atrás da porta da sala onde ocorria a reunião, segurando a mesma, para impedir que as dirigentes do SINTESE entrassem. Com isso, até os professores do próprio Colégio tinha dificuldade de entrar na sala.

A diretora do SINTESE, professora Claudia Oliveira, conta que quando ela e a professora Emanuela Pereira foram barradas de entrar na reunião, pelo diretor da DRE 04, alegou que aquele espaço eram uma escola pública e que elas duas eram legítimas representantes dos professores e que havíamos sido convidados pelos docentes daquela unidade de ensino a estarmos presentes na reunião.

“Disse a ele que tínhamos sido convidas e que tínhamos o direito de entrar. Afirmei que tudo que queríamos era saber dos professores ali presentes como estava a situação física e financeira do colégio, pois após visita feita pelo SINTESE, em fevereiro, ao Colégio Estadual Felipe Tiago Gomes, enviamos ofício a SEED [Secretaria de Estado da Educação] no qual cobrávamos que fossem tomadas as mediadas cabíveis para que a unidade de ensino voltasse a receber verbas e que limpeza e reparos fossem feitos com urgência. No entanto, até a presente data não tínhamos recebido a resposta”, explica a diretora do SINTESE, professora Claudia Oliveira.

Mesmo diante do argumento da representante do SINTESE, o diretor da DRE 04 manteve uma postura autoritária, foi irredutível e não permitiu a entrada do Sindicato. As dirigentes decidiram esperar até que a reunião acabasse para que pudessem conversar com os professores.

Denúncia

Após denúncia feita pelo SINTESE, em fevereiro deste ano, sobre a precária situação do Colégio EstadualProfessora do Felipe Tiago Gomes tem dificuldade de entra em sala onde ocorria a reunião com o diretor da DRE 04, José Almeida, pois alguém segurava a porta para impedir que as dirigentes do SINTESE entrassem Felipe Tiago Gomes, a Secretaria de Estado da educação (SEED) realizou a limpeza da unidade de ensino.

 Há época o SINTESE denunciou também que há quatro anos o Colégio não recebia verbas estaduais, nem federais, pois um diretor da unidade de ensino havia deixado de prestar contas das verbas que chegavam ao colégio e estas verbas acabaram sendo suspensas.  

Sem dinheiro, não havia como fazer a manutenção do Colégio ou fazer pequenas obras necessárias para o bom funcionamento do prédio. Desta forma, durante todo este período o Colégio Estadual Felipe Tiago Gomes foi abandonado à própria sorte e se tornou um espaço decadente e sujo.

A situação foi denúncia também, por meio de ofício, ao Ministério Público Estadual.

Recebimento de verbas ainda não foi solucionado

Com o fim da reunião, entre o diretor da DRE 04 e os professores do Felipe Tiago Gomes, as dirigentes do SINTESE puderam dialogar com os docentes para saber se a SEED havia dado alguma resposta sobre os recursos que há quatro anos não chegavam ao Colégio.

O coordenador do Felipe Tiago Gomes e presidente do Conselho escolar do Colégio, Michael de Andrade, informou que estava apenas aguardando a SEED fazer o pagamento das taxas cartoriais para registrar o regimento interno do conselho escolar da unidade de ensino.  Assim que o conselho estiver devidamente registrado, o Colégio pode voltar a receber verbas do Programa de Transferência de Recursos Financeiros (PROFIN) repassadas diretamente a unidade de ensino pela Secretaria de Estado da Educação.

A verba do PROFIN pode ser utilizada pelas escolas para realização de pequenos reparos de banheiros, refeitórios e telhados, e também para compra de material de trabalho, como papel, cartolina, tinta de impressora, entre outros.

Já em relação ao recebimento de recursos federais, o conselho escolar do Colégio Estadual Felipe Tiago Gomes terá que aguardar a intervenção do Ministério Público Estadual.

Relembre a situação do Colégio Felipe Tiago Gomes, denunciada pelo SINTESE em fevereiro de 2016: https://www.sintese.org.br/index.php/educacao/rede-estadual/6662-colegios-estaduais-de-maruim-sofrem-com-problemas-de-estrutura-e-falta-de-seguranca