Estudantes, professoras e professores apelam a deputados que não aprovem orçamento com cortes na Educação

68


Se for aprovado da forma em que está, a Educação terá R$30 milhões a menos em recursos para 2017

Estudantes de algumas escolas estaduais ocupadas, professoras e professores da ativa e aposentados ocuparam as galerias da Assembleia Legislativa para acompanhar a discussão feita pela deputada estadual Ana Lúcia sobre as consequências que a redução de R$30 milhões dos recursos na Educação irão trazer para a rede estadual de ensino.

Na ocasião o SINTESE também protocolou ofício aos deputados presentes a sessão para que eles não aprovem o orçamento para a Educação da forma em que está e que possam apresentar emendas para garantir que, no mínimo, os recursos para 2017 sejam iguais aos investidos em 2016.

 “Em um cenário de desvalorização do magistério, total destruição da escola pública no que tange a estrutura das escolas, onde também faltou alimentação escolar e transporte. Na avaliação dos professores e dos estudantes as consequências da redução dos recursos serão gravíssimas e o ano de 2017 no que diz respeito ao ensino da rede estadual pode ser ainda pior que 2016. É preciso que seja garantido o direito dos estudantes de apresentar e também o direito dos professores de trabalhar”, aponta Ivonete Cruz, presidenta do SINTESE.

A deputada Ana Lúcia mostrou, em seu pronunciamento, todas as reduções previstas pelo governo.

“Eu transcrevi exatamente as mudanças fundamentais na questão do financiamento da Educação. No Plano Estadual foi discutido que 25% dos recursos não está dando conta para melhorar a qualidade do ensino. Em Sergipe deixa de ser calculado os impostos e passa a ser calculado os tributos, que devem aumentar 26% e ao final de dez anos, 27%. Para a nossa surpresa, aumentou as matrículas e não veio nenhuma proposta, a não ser a contradição da lei que está sendo desrespeitada pela Proposta Orçamentária.  Com a planilha eu mostro que o secretário de Planejamento e Gestão diminuiu 30 milhões na educação, enquanto que o Poder Legislativo, Poder Executivo e o Poder Judiciário, Secretaria de Segurança Pública, aumentaram os recursos e na Educação retiraram 30 milhões, 495 mil 585 reais”, lamenta.

Estudantes na ALESE

Atentos as graves consequências que o corte nos recursos trazem para a Educação da rede estadual, estudantes dos colégios ocupados também estiveram na Assembleia Legislativa.

“Vamos continuar na luta pelos nossos direitos. Não é justo reduzir os recursos da Educação. A realidade das escolas já é difícil com os recursos que se tem, se diminuir a situação ficará ainda pior”, disse Joana de Jesus Alves, estudante do Colégio Estadual Prefeito Eduardo Marques de Oliveira

Dona Iracema Braz é mãe de duas adolescentes que estudam no Colégio Estadual Milton Dortas (localizado em Simão Dias) e também veio a Assembleia Legislativa. “A situação da escola é terrível. Faltam até pias para lavar as mãos e ainda querem reduzir os recursos. Não dá para ficar como está. É preciso mais recursos, é preciso mais investimentos”, disse.

Estado de alerta

Professoras, professores e estudantes continuam em alerta para acompanhar a votação, em terceira discussão, do orçamento do Estado para 2017. A qualquer momento no decorrer desta semana e da próxima o SINTESE irá convidar estudantes e convocar professores e professoras para acompanhar a votação.