Aquidabã: Professoras e Professores da Escola Estadual Milton Azevedo dizem não a municipalização

41
Caso a Escola Estadual Milton Azevedo seja municipalizada terá o mesmo destino das demais escolas municipais de Aquidabã: ser largada as traças

Professoras e professores da Escola Estadual Milton Azevedo, em Aquidabã, foram às ruas nesta Caso a Escola Estadual Milton Azevedo seja municipalizada terá o mesmo destino das demais escolas municipais de Aquidabã: ser largada as traçassegunda-feira, 16, munidos de panfletos para dialogar com a população e apontar os motivos pelos quais a municipalização da unidade de ensino terá prejuízos e danos a todos daquela comunidade escolar.

Desde o início do sua gestão o Secretário de Estado da Educação, Jorge Carvalho, com aval do Governador do Estado, Jackson Barreto, adotou uma política nefasta de desmonte da rede estadual de ensino de Sergipe, entre as cruéis práticas esta a municipalização de escolas da rede estadual.

Municipalizar uma escola estadual significa entregar a escola, seu prédio e seus estudantes, a uma determinada prefeitura para que a mesma passe a administrar aquela unidade de ensino, que deixa de ser da rede estadual e passa para a rede municipal.

Sem qualquer debate ou consulta a professores, estudantes, pais, mães e funcionários da escola a Secretaria de Estado da Educação (SEED) anunciou que entregaria a Escola Estadual Milton Azevedo a prefeitura de Aquidabã. Com isso, a SEED abre mão de matriculas, abandona estudantes e tira o corpo fora da responsabilidade de cuidar da escola.

Vale ressaltar que os recursos do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) estão diretamente relacionados ao número de estudantes matriculados na rede. Ou seja, ao abrir mão das matrículas da Escola Estadual Milton Azevedo a SEED está abrindo mão de dinheiro para a educação de Sergipe.

Cenário de caos

Ao longo dos anos a educação de Aquidabã foi colocada em segundo plano pelos prefeitos, com isso muitas escolas municipais estão caindo aos pedaços, faltam materiais pedagógicos para serem trabalhados em sala de aula e professores estão desvalorizados amargando três anos (2012, 2015 e 2016) sem receber o reajuste do piso salarial.

Neste cenário de caos, a prefeitura não terá condições de manter em bom estado do prédio da Escola Estadual Milton Azevedo e não há qualquer garantia a comunidade escolar de que a prefeitura conseguirá manter o número de estudantes matrículas e se terá a mesma verba para cuidar da Escola.

O prefeito de Aquidabã, Francisco Francismário Rodrigues de Lucena (conhecido como Mário) é aliado do Governador Jackson Barreto e simplesmente preferiu dizer “amém” a municipalização da Escola Estadual Milton Azevedo ao invés de pensar nas graves consequências que isso terá para professores e funcionários, que serão devolvidos para a Diretoria Regional de Educação (DRE) e realocados em outras escolas (de Aquidabã ou não), e principalmente nas graves consequências para os estudantes, que acabarão em uma escola sucateada.

“A Escola Estadual Milton Azevedo é uma das três escolas estaduais que temos na cidade de Aquidabã é de fundamental importância alertarmos a população sobre a gravidade de se municipalizar esta unidade de ensino, pois sabemos que caso isso aconteça a Escola Estadual Milton Azevedo terá o mesmo destino das escolas do município e será largada as traças. Por isso, estamos nas ruas e convidamos toda a população para se unir a nós nesta luta e barrar este cruel projeto de Jackson Barreto, Jorge Carvalho e do prefeito Mário. Não queremos a municipalização e nos manteremos na luta contra o desmonte da rede estadual de ensino”, afirma a Coordenadora da subsede do SINTESE na região do Baixo São Francisco I, Fátima Ferreira.