Professor e professora não podem ter ponto cortado por participarem greve

28
manchete direito degreve 2017

Pela decisão do STF, gestores não podem cortar ponto de categorias que repõem os dias parados

manchete direito degreve 2017

A decisão do Supremo Tribunal Federal de outubro de 2016 que autoriza os gestores públicos a descontarem dos salários não vale para as categorias que negociarem a compensação dos dias parados. Tal situação vale para os professores e professoras, pois desde sempre ao deliberarem greve o magistério já aponta que os dias parados serão repostos.  

“O que foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal é que no caso das categorias que negociarem a compensação dos dias parados não pode haver desconto dos salários. Tal situação contempla o magistério, pois os professores e professoras sempre fazem a reposição dos dias parados”, aponta o advogado Franklin Magalhães Ribeiro, coordenador do setor jurídico do SINTESE.

Vale ressaltar que o ano letivo deve ter, obrigatoriamente, 200 dias, estes pertencem aos estudantes é um direito constitucional que lhes cabe, por isso o magistério sempre faz a compensação dos dias parados.

“No ofício que enviamos ao governador Jackson Barreto e aos gestores e gestoras dos 74 municípios filiados ao SINTESE reafirmamos o compromisso de fazer a reposição das aulas. Por isso, esperamos que os professores e professoras de todo o Estado de Sergipe se unam ao magistério de todo o Brasil na Greve Geral da Educação a partir do dia 15 de março”, esclarece a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

Greve Geral da Educação

A Greve Geral da Educação é uma convocatória da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE que a partir de 15 de março paralisam, por tempo indeterminado. Na pauta a luta contra a Reforma da Previdência e pelo cumprimento da lei do piso, com reajuste para todos os níveis da carreira.

O primeiro ato da greve geral será a partir das 14h do dia 15 de março na Praça General Valadão.