Privatizar a DESO é golpe nos sergipanos

38

Em mais um dia de Greve Geral da Educação, os professoras e professores de todos os cantos de Sergipe se juntaram aos trabalhadores das demais categorias na luta contra a privatização da Companhia de Saneamento de Sergipe – DESO em ato promovido pelo Sindisan – Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos do Estado de Sergipe.

“No Dia Internacional da Água onde o mundo inteiro luta pelo direito a água, os professores e professoras em greve se solidarizem a luta dos companheiros do Sindisan, pois o governo Jackson Barreto se soma as medidas golpistas de Michel Temer e inicia um processo de privatização da água. Da água que é essencial para a sobrevivência, que é um bem público. Por isso no dia de hoje construímos um grande ato de luta e resistência à privatização da DESO”, aponta a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

A concentração foi em frente à DESO e logo após foi realizada caminhada que percorreu ruas do bairro São José e também do centro comercial de Aracaju sendo encerrada na Assembleia Legislativa onde o presidente do Sindidan e dirigentes da CUT Sergipe e da CUT Nacional entregaram o Manifesto em Defesa da DESO assinado por 27 entidades.

“Não podemos admitir que a DESO seja vendida, que a água seja privatizada. Não podemos admitir também que os trabalhadores da DESO sejam criminalizados. E que em nome da privatização, um serviço seja sucateado, porque é assim que a burguesia faz quando quer vender um bem público. Sucateia, criminaliza os trabalhadores para que o povo se favorável a privatização. Por isso vamos dizer aos deputados estaduais que não votem na privatização da DESO”, disse Ângela Melo, dirigente da CUT Nacional.

Privatizar a DESO vai encarecer a água para os sergipanos

Se a DESO for vendida. A população dos 71 municípios que é abastecida pela companhia terá um aumento significativo na taxa de água, isso sem contar com a possível extinção da taxa social.

A tarifa social é um benefício voltado às famílias carente que consumem até 10 mil litros de água por mês. Milhares de sergipanos são beneficiados e não há nenhuma garantia de sua permanência se a empresa por vendida.

Para os demais consumidores também haverá aumento, pois ao ser fornecida por uma empresa privada a tarifa de água passa a ter (a exemplo da energia elétrica) o acréscimo de PIS, ICMS e Cofins, o que representará um aumento de, no mínimo, 32% na atual taxa.

O Sindisan também alerta que grandes grupos empresariais do Brasil e do mundo estão interessados na água brasileira, pois o país tem os maiores reservatórios de água doce do mundo seja no Aquífero Guarani ou na Amazônia.

“O que está em jogo é um bem precioso, vital, insubstituível e muito maior que a ganância de alguns. A Deso é do povo sergipano e deve continuar sob controle do Estado, que deve defender o interesse da população e não de empresas privadas”, disse o presidente do Sindisan, Sérgio Passos.