Jornada de luta: Professoras e professores aposentados fazem ato em Itabaiana na próxima quarta-feira

57

Novamente professoras e professores aposentados da rede estadual de ensino vão às ruas para pedir pontualidade no pagamento dos proventos de aposentadoria e reajuste do piso salarial na carreira. Desta vez o ato será na cidade de Itabaiana, na região agreste do estado, na próxima quarta-feira, dia 10. A concentração do ato será a partir das 8h, na Praça João Pessoa (em frente ao supermercado Nunes Peixoto).

A ação faz parte da Jornada de Luta das professoras e professores aposentados da rede estadual, que teve início no mês de março com o ato em frente à casa do Governador Jackson Barreto, em Aracaju. Em abril as professoras aposentadas fizeram uma Via Crucis, também em Aracaju, para mostrar a sociedade o sofrimento que vêm passando nos últimos dois anos com a falta de pontualidade no pagamento de seus proventos. E na próxima quarta-feira a luta segue na cidade de Itabaiana.  

De acordo com a diretora do departamento de aposentados do SINTESE, professora Maria Luci Santos Lima, a intenção ao fazer um ato na cidade de Itabaiana é dialogar com a população no interior e mostrar para todo o estado a forma desrespeitosa que o governador Jackson Barreto tem tratado professoras e professores aposentados de Sergipe.

“Antes os aposentados eram os primeiro a receber, recebíamos dentro do mês e de uma hora para outra começaram os atrasos. Nunca sabemos ao certo a data que vamos receber nossa aposentadoria. Alguns meses recebemos dia 10, outros dia 11 e até dia 16 do mês subsequente. Isso tem gerado uma bagunça em nossa vida financeira: são contas atrasadas, credores em nossa porta, remédio que acabam e não temos com comprar outros, enfim, é um verdadeiro calvário. O que Jackson Barreto está fazendo é uma covardia. Contribuímos para estado com 25, 30 anos de trabalho e agora no momento da vida que mais necessitamos o governo nos desrespeita, desrespeita o que preconiza a Lei do Sergipeprevidência, ao pagar nossa aposentadorias fora do mês, e paga aos aposentados na data que bem quer. Isso é uma vergonha”, coloca com indignação a professora aposentada, Maria Luci.  

Além de lutarem pelo recebimento em dia de seus proventos de aposentadoria, a professoras aposentadas estão na luta pelo pagamento do piso salarial do magistério e pela retomada da carreira. Professores e professoras, da ativa e aposentados, amargam quatro anos (2012, 2015, 2016 e 2017) sem reajuste salarial.  Jackson Barreto passa por cima da lei do Piso salarial do magistério (Lei Federal 11.738/2008) e com isso tem gerado o empobrecimento dos professores da rede estadual. Esta ação maldosa do governo do estado deixou professores e professoras entre 40% e 65% mais pobre ao longo destes quatro ano.

“Veja com é triste a situação das professoras e professores aposentados: além de não sabermos o dia que iremos receber nosso dinheiro da aposentadoria, estamos há quatro anos com nosso salário congelado, pois Jackson Barreto não tem reajustado o piso salarial do magistério na carreira. Neste tempo todo que estamos sem reajuste tudo foi subindo de preço: remédios, conta de água, conta deluz, comida…e nós continuamos a ganhar o mesmo. Os professores e professoras da rede estadual, da ativa e aposentados, estão empobrecendo. Por isso, estamos nas ruas, nos mobilizando porque não podemos aceitar de braços cruzados as maldades de Jackson Barreto”, afirma a diretora do departamento de aposentados do SINTESE, professora Maria Luci Santos Lima.