Professoras e professores aposentados marcham pelas ruas de Lagarto por pagamento em dia e por retomada da carreira

293
O próximo ato será na cidade de Propriá nesta sexta-feira, 3

Em continuidade a Jornada de Luta, professoras e professores aposentados da rede estadual fizeram ato nesta segunda-feira, 29, na cidade de Lagarto. Educadores e educadoras ocuparam as ruas da cidade para exigir pagamento em dia de seus proventos de aposentadoria e reajuste do piso salarial na carreira.

O próximo ato será na cidade de Propriá nesta sexta-feira, 3

O objetivo da Jornada de Luta é mostrar à população da capital e do interior do estado o modo desrespeitoso como o governo Jackson Barreto tem tratado professoras e professores aposentados. O Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Agricultores Familiares de Lagarto (SINTRAF) também aderiu ao ato dos professores.

Ao longo de quase dois anos, a incerteza tem sido uma amarga companheira na vida de professores e professoras aposentados, que nunca sabem ao certo o dia que irão receber o dinheiro de suas aposentadorias.

“Nem os nossos anos de contribuição, nem os nossos cabelos brancos são respeitados pelo Governador Jackson Barreto. Por isso, mas uma vez estamos ocupando as ruas, vestidos com túnicas roxas que representam o calvário que vivemos mês após mês. Sempre recebemos dentro do mês e de 2015 para cá o Governo do Estado passou a atrasar e chegou até a parcelar o pagamento dos aposentados. Não satisfeito, Jackson Barreto também vem nos pagando em datas diferentes: tem mês que é dia 10, outros dia 13 e até dia 16 do mês subsequente. Com isso toda a nossa vida financeira ficou completamente desorganizadas. São juros que se acumulam, são remédios que se acabam, seu credores em nossa porta. Ou seja, o Governo Jackson Barreto tornou nossas vidas um caos”, conta a diretora do departamento de aposentados do SINTESE, professora Ana Geni.

Vale destacar que até 2015 os aposentados eram os primeiros a receber. Seus proventos eram assegurados antes do final de cada mês.

Retomada da carreira

Professoras e professores aposentados lutam também pelo cumprimento da Lei do Piso Salarial do magistério e pela retomada da carreira. Há quatro anos (2012, 2015, 2016, 2017) que o Governo do Estado não reajuste a piso salarial dos professores e professoras, da ativa e aposentados, conforme estabelece a Lei Federal 11.738/2008 (Lei do Piso). A situação gerou o empobrecimento da categoria. Os quatro anos sem reajuste tronou professores e professoras da rede estadual de ensino de Sergipe entre 45% e 65% mais pobres.

Aposentados em Luta

E a Jornada de Luta dos professores e professoras aposentadas continua: Na próxima sexta, dia 3, os educadores aposentados estarão em Propriá e irão realizar ato pelas ruas da cidade.

A Jornada de Luta dos professores e professoras aposentados da rede estadual teve início no mês de março com o ato em frente à casa do Governador Jackson Barreto, em Aracaju. Em abril as professoras aposentadas fizeram uma Via Crucis, também em Aracaju. No início de maio realizaram ato em Itabaiana. Nesta segunda-feira, 29, foi a vez de Lagarto e na próxima sexta a luta segue na cidade de Propriá.

“Enquanto Jackson Barreto insistir em continuar atrasando o pagamento de nossa aposentadoria, nos desrespeitando, negando o nosso direito, sem reajustar o nosso piso salarial, sem reestruturar a nossa carreira, continuaremos ocupando as ruas, marchando na capital e no interior do estado para mostrar aos sergipanos o descaso com que o Governador trata homens e mulheres que dedicaram suas vidas a formação e a educação do povo deste estado”, afirma a professora Ana Geni.