Rede estadual: nova decisão judicial confirma que reajuste do piso repercute na carreira

179
manchete reafirma piso out 2017

Juíza Simone Fraga indeferiu os embargos de declaração impetrados pelo Governo de Sergipe

manchete reafirma piso out 2017

A juíza da 3ª Vara Cível indeferiu os embargos de declaração impetrados pelo Governo de Sergipe que questionaram a decisão da magistrada sobre a repercussão do reajuste do piso na carreira do magistério.

Em fevereiro deste ano, a juíza entendeu que o Estado de Sergipe não cumpriu a lei do piso (11.738/2008) e a Lei Complementar 61/2001 (que institui o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério) quando nivelou os vencimentos iniciais dos docentes com formação em Nível Médio a docentes com Mestrado. A decisão determinou que o Estado de Sergipe pague o reajuste do piso “obedecendo-se ao escalonamento de nível e classes constantes na legislação estadual”.

O Governo de Sergipe recorreu e, em maio, a juíza reafirmou que o pagamento do reajuste do piso deve respeitar as letras e os níveis na carreira para os docentes da rede estadual tanto da ativa quanto para os aposentados (as).

Para “empurrar com a barriga”, o Governo de Sergipe usa agora os embargos de declaração. Os embargos são instrumentos jurídicos pelo qual uma das partes do processo solicita esclarecimento sobre uma decisão proferida. A juíza indeferiu-os, mas o Governo do Estado ainda pode recorrer.

“Mesmo o governo tentando protelar o cumprimento da decisão judicial é importante ter a certeza que o judiciário sergipano reconhece que o plano de carreira do magistério deve ser respeitado e o esforço dos professores e professoras no sentido de aumentar os seus conhecimentos seja reconhecido”, aponta Roberto Silva dos Santos, vice-presidente do SINTESE.

Atualmente um professor da rede estadual de ensino com 1 ano ou com 30 anos de carreira recebem o mesmo de vencimento base: R$ 2.298, 80. Além disso, hoje não há diferença de salarial entre um professor que fez apenas o nível médio e um professor que fez mestrado e possui nove anos de carreira. Eles recebem o mesmo vencimento base: R$ 2.298,80.