Conselho Escolar do Murilo Braga em Itabaiana rejeita imposição de ensino médio em tempo integral

119
ce murilobraga itabaiana

ce murilobraga itabaiana

Por oito votos a seis, o Conselho Escolar do Colégio Estadual Murilo Braga em Itabaiana rejeitou a imposição da SEDUC – Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura em implantar a modalidade de Ensino Médio em Tempo Integral na unidade de ensino.

“Para nós, a decisão é uma vitória da autonomia escolar. Esperamos, que a SEDUC respeite o Conselho Escolar do Murilo Braga e não imponha a sua vontade de transformar a escola sem a aquiescência daqueles que estão no dia-a-dia da unidade de ensino”, afirmou a presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz.

Em plenária realizada na última segunda, 13, com os professores e professoras da escola, foi colocado por diversas vezes que os estudantes do Murilo Braga não se encaixam no perfil do estudante de tempo integral.

Eles colocaram que a maioria tem residência nos povoados de Itabaiana, inclusive ressaltaram o fato de quando não há transporte escolar (o que tem acontecido muito nos últimos anos em Itabaiana), a unidade de ensino fica vazia, inviabilizando a realização das aulas. Além disso, estes alunos, no turno inverso ao estudo, desenvolvem atividades laborais que contribuem para o sustento das suas famílias.

Isso sem contar com o fato de que sequer houve um debate amplo entre todos os segmentos que fazem a comunidade escolar. Até mesmo a reunião que tratou, de forma extremamente simplificada, sobre a implantação da modalidade sequer aconteceu no prédio da unidade de ensino, como pode ser comprovado por notícia publicada no site da Assembleia Legislativa informando que a reunião aconteceu na sede da Diretoria Regional de Educação – DRE’3 no dia 08 de janeiro.

A SEDUC, infelizmente, ainda insiste no fato de implantar o Ensino Médio em Tempo Integral sem fazer um diagnóstico preciso da realidade escolar. O SINTESE tem avisado que as consequências são desastrosas não só para os docentes, mas para toda a comunidade escolar.

Vale aqui mais uma vez reafirmar que o SINTESE NÃO é contra ao Ensino em Tempo Integral, somos contra a forma impositiva que a Seduc, ao longo dos anos, vem usando para implantar o Ensino Médio em Tempo Integral nas unidades de ensino da rede estadual: sem qualquer diagnóstico prévio, sem diálogo com a comunidade escolar e sem assegurar a estrutura necessária a estudante e professores.

Foto: Maria Odília/ SEDUC