SINTESE EM AÇÃO 11 – Estar vivo é ficar em casa

346

Neste momento de pandemia, o Sintese tem um recado para vocês. Saibam que nós podemos adiar às aulas. Nós podemos adiar o trabalho. Nós podemos adiar os abraços. Nós podemos adiar às festas. O encontro com os amigos. Aquela visita à casa dos pais. Nós podemos adiar a ida à praia. Nós podemos adiar à viagem. O passeio de carro. Nós podemos adiar os exercícios na academia, a corrida em volta da praça. Nós podemos adiar a ida às igrejas, ao culto. Nós podemos adiar quase tudo. A única coisa que não podemos adiar é a vida, porque a vida tem que ser vivida no presente, no aqui, no agora, porém, para viver a vida precisa estar vivo e, nesse momento, estar vivo significa estar em casa.


Sair? Só se for extremamente necessário e tomando todas as precauções possíveis. É claro que nós compreendemos tudo o que envolve essa pandemia. Tentamos nos colocar no lugar de todos os sergipanos e sergipanas. Temos consciência do grau de prejuízo que muitas pessoas estão tento nesse momento difícil. Ignorar este fato seria irresponsabilidade. Assim como reconhecemos, e louvamos, os profissionais que são obrigados a sair de casa para trabalhar. Esses são os verdadeiros heróis, pois colocam em risco a própria vida em prol da vida dos outros. Aqui, não estamos falando apenas dos profissionais da área da saúde.

Estamos falando daqueles profissionais invisíveis, que estão sempre ao nosso lado e que nós, às vezes, olhamos, mas não os enxergamos como: a caixa do supermercado, o trabalhador que recolhe o nosso lixo, o motorista de caminhão que transporta nosso alimento e muitos outros. Esses são “mitos” de verdade. 

Entretanto, nem todo mundo tem essa consciência. Tem gente que acredita que temos que deixar o isolamento social, voltar ao trabalho, reabrir as lojas. Essas pessoas estão fazendo até carreata pedindo a volta do trabalhador às empresas. Todos que tiveram a oportunidade de acompanhar essas manifestações, perceberam que os manifestantes, “pró-morte”, estavam todos em seus carrões para se protegerem de um vírus que eles juram que não existe. Então, vamos pensar um pouco: se para essas pessoas a pandemia não passa de exagero da mídia, de um complô produzido pela ciência, porque eles não foram protestar caminhando de braços dados, um ao lado do outro? Não é estranho?

 
Por isso, se você está ouvindo este editorial, saiba que só existe uma maneira de nós vencermos essa guerra contra o Corona vírus: ficando em casa. Lembre-se da mitologia Grega que fala da existência de uma ilha do mediterrâneo habitada por Sereias que tocavam e cantavam uma música maravilhosa que enfeitiçava todos quantos passavam junto da ilha e a ouviam. Fascinados, os navios aproximavam-se demasiado das costas rochosas, naufragavam e os marinheiros eram prontamente devorados pelas Sereias. Fiquem atentos. Não caiam nesse canto de sereia. Não deem ouvidos às pessoas que dizem que essa é apenas uma “gripinha”, mesmo que uma dessas pessoas seja o Presidente da República. Lembrem-se que ele adora fake news, aliás, foi assim que ele conseguiu se eleger.


Por último, mas não menos importante, queremos dizer que o lema de Bolsonaro: “O Brasil não pode parar” foi copiado de uma cidade italiana, Milão, e a Itália, queridos ouvinte, já chegou a registrar 756 mortes por Corona vírus ao dia. Portanto, seja vivo. Fique vivo. Fique em casa. Sintese: Somos Muitos. Somos Fortes