Boquim: porque os professores estão sendo cobrados por empréstimos consignados que já foram descontados no contracheque?

1166
Correspondência recebida por professores cobrando pagamento de parcelas do empréstimos referente ao mês de abril

Quem fez empréstimo consignado foi surpreendido com notificações da CEF informando que os repasses não foram feitos

Professoras e professoras da rede municipal Boquim foram surpreendidos no final do mês passado ao receberem notificações da Caixa Econômica Federal intitulada “Informe de Não Repasse” com o seguinte texto “”Informamos que, até a emissão deste comunicado, não registramos o repasse da(s) parcela(s) abaixo do seu contrato de consignação”

O documento que ilustra essa matéria informa que a emissão foi feta no dia 23/04 referente a uma parcela vencida no dia 01/04. O banco solicitava que o professor fosse a agência com seu contracheque para maiores orientações.

Mais surpreendente foi que logo após receberam a notificação por escrito referente ao mês abril, alguns já começaram receber ligações do banco sobre atraso no pagamento da parcela referente ao mês de maio.

A surpresa dos professores e professoras com a notificação e as ligações é que nos contracheques dos meses de março e abril os descontos foram feitos, o que para o sindicato significa que a Prefeitura de Boquim não fez o repasse para a Caixa Econômica Federal dos valores descontados, tal ação pode ser considerada como apropriação indébita. De acordo com o art 168 do Código Penal Brasileiro apropriação indébita é um crime que consiste em se apoderar de algo sem o consentimento do proprietário.

De acordo com José de Jesus, do coordenador de Bases Municipais da região Centro-Sul, a informação passada para o sindicato pela Secretaria de Finanças é que no início de abril (entre os dias 02 e 05) o repasse dos valores referentes ao mês de abril tinha sido feito.

A partir destes novos acontecimentos, o sindicato irá oficiar a prefeitura de Boquim para que ela apresente as comprovações de que os repasses foram efetivados, pois professores e professoras tiveram os valores dos empréstimos consignados descontados de seus contracheques e agora estão sendo constrangidos e penalizados, afinal com dois meses sem repasses o nome dos que solicitaram empréstimos são inseridos em cadastros de devedores, por uma ação ilegal da prefeitura.

Por questões de segurança e privacidade, nome e valores descontados foram omitidos