Prefeitura de Boquim ainda não enviou o reajuste do piso para a Câmara de Vereadores

Projeto já está pronto desde abril, mas a prefeitura não enviou para a votação na Câmara de Vereadores e não justifica a demora

25

Os professores e professoras de Boquim estão na expectativa de que a administração envie para a Câmara de Vereadores, projeto de lei complementar, que autoriza o reajuste do piso do magistério.

A audiência com o SINTESE para negociar o reajuste (que segundo a lei deve ser pago a partir do mês de janeiro), aconteceu em março (no dia 11), e o pagamento ocorreria no mês de maio.

Mesmo com todos os termos negociados em audiência, o poder executivo municipal enviou projeto com diversos erros legislativos. No dia 18 de março, o sindicato teve acesso ao teor do projeto e buscar administração para corrigir as discrepâncias. Após algumas conversas com a procuradoria do município, o sindicato fez as correções e no final de março reenviou o texto para gestão municipal.

Ainda no mês de abril a coordenação da subsede Centro-Sul do SINTESE buscou a administração para questionar os motivos do projeto ainda não estar à disposição dos vereadores.

No início de maio, o prefeito Eraldo Andrade Santos enviou ofício ao sindicato solicitando nova audiência para tratar do reajuste, inclusive, a data proposta pela administração (26 de maio) causou estranheza nos dirigentes sindicais. Pois, para o SINTESE, não há motivos para novas negociações, pois tudo o que está no projeto leva em consideração as finanças do município.