Prefeitura de Santo Amaro parcela salários do magistério

Professoras e professores só receberam 30% dos salários do mês de abril

281

A Prefeitura Municipal de Santo Amaro das Brotas pagou somente 30% dos salários de abril. Além do parcelamento, o atraso pois uma parte recebeu somente dia 20 e outra dia 22/05.

“É um absurdo, os professores e professoras têm direito a receber seus salários. Não há justificativa para cortes e parcelamentos, o Estatuto do Magistério assegura o pagamento integral. Não há justificativa plausível para isso”, afirma Emanuela Pereira, diretora do Departamento de Bases Municipais do SINTESE.

A justificativa preliminar da atual gestão é que no dia 11 de maio as contas do município tinham sido bloqueadas, inviabilizando pagamento, devido a uma decisão do Tribunal Regional Federal da 5º Região sobre uma ação movida contra a gestão anterior.

Porém o SINTESE solicitou os extratos bancários detalhados das contas do Educação e até o dia 20/05 não tinha havia nenhum registro de bloqueio, mas foi constatado que a gestão utilizou os recursos da Educação para fazer pagamentos de parcelas atrasadas de empréstimos consignados do Banco do Brasil, Banese e Caixa Econômica Federal.

Falta transparência
Nessa atual gestão já foram várias as solicitações do SINTESE para que a administração do prefeito Genilvado dos Anjos Costa Santos (Dadau) disponibilize a folha de pagamento analítica da Educação (Fundeb e MDE), mas, mesmo com a Lei de Acesso a Informação em vigor, a gestão ignora os pedidos o sindicato.

Cestas básicas
Ao receber somente um terço dos seus salários, os professores e professoras estão desamparados. No sentido de minimizar o sofrimento, o SINTESE irá distribuir cestas básicas.