CUT doa mais de 600kg de alimento para trabalhadores de SE em situação vulnerável

Iracema Corso - CUT/SE

270

A desigualdade social e a dimensão do trabalho informal expõem sua face mais cruel no Brasil em tempos de pandemia do Coronavírus (Covid-19). Assim, desde meados de abril deste ano, a Secretaria de Combate ao Racismo da Central Única dos Trabalhadores (CUT) arrecada doações em espécie e distribui gêneros alimentícios, itens de higiene, material de limpeza para ajudar trabalhadoras, trabalhadores e a população que está em situação de vulnerabilidade social agravada neste momento que o País atravessa.

A dirigente sindical Arlete Silva (Secretária de Combate ao Racismo da CUT Sergipe) explica que esta é uma ação que está sendo organizada em todo o Brasil pelas Secretarias de Combate ao Racismo da CUT por entender que a crise sanitária e política atual atinge principalmente o Brasil negro, pobre, que sobrevive do trabalho informal, além do crescente número de trabalhadores desempregados.

Quando Sergipe avança no número de infectados pelo Coronavírus (Covid-19) e a recomendação é de que a população se mantenha em casa em situação de isolamento social, dirigentes sindicais da CUT foram entregar mais de 600kg de alimentos doados na última quinta-feira (21/5) às famílias do MTST, aos músicos e às trabalhadoras domésticas, através do Sindimuse e Sindoméstica que estão em campanha permanente desde o início da pandemia.

As doações foram arrecadadas pelo Sintese, Sindasse e Sindsemp, além das doações individuais a exemplo de Gilvan Tavares, servidor do Poder Judiciário que, entre outras pessoas, também contribuiu.

A dirigente sindical, Arlete Silva, ressaltou que a campanha de arrecadação continua e todos podem ajudar. “Tem muita gente que não recebeu o auxílio do governo e está passando por necessidade mesmo. Podemos citar os músicos sergipanos, bem como alguns trabalhadores informais. Mais de 6 ou 8 pessoas morando em uma casa com 2 cômodos não tem como pensar em distanciamento, já vivem aglomerados cotidianamente e nesse tempo de pandemia estão todos com fome”, alertou.

A secretária de Combate ao Racismo da CUT/SE explicou que a central sindical vai seguir com a campanha de arrecadação até o fim da pandemia. “A CUT fez bem em abraçar esta campanha da doação e vamos continuar porque não sabemos quanto tempo vai durar a pandemia. A fome não espera, precisamos ajudar realmente a quem precisa”, afirmou.

Quem quiser ajudar doando alimentos ou em espécie, basta entrar em contato pelos telefones (79) 99978-4657 ou (79) 99972-3683 e falar com a dirigente de Combate ao Racismo da CUT/SE ou com Cléo, secretária da Central.