Bolsonaro transformou o Brasil numa república “rampeira”. Basta algo o desagradar que ele vai para a rampa do Palácio do Planalto. Vai à rampa ao encontro de jornalistas para dar justificativas para seus atos injustificáveis. Vai à rampa para fazer flexão de braço com milicianos. O presidente vai à rampa para assistir carreatas em desagravo ao seu governo. Desce a rampa para ir ao encontro de apoiadores em manifestações inconstitucionais e antidemocráticas. Desce a rampa, cercado por empresários, para ir ao Supremo Tribunal Federal tentar humilhar o presidente da Suprema Corte exigindo a flexibilização do isolamento social.

E quando não pode descer a rampa o Presidente comete atrocidades dentro do próprio Palácio do Planalto, como tivemos o desprazer de assistir naquela fatídica reunião com todos os seus ministros, onde notamos o total desprezo de Bolsonaro para com as instituições. Uma aula de incivilidade. Uma verdadeira conspiração contra o povo brasileiro.

O presidente Bolsonaro só não desce a rampa para ir visitar os estados que estão sendo assolados pala Covid-19. O presidente só não vai à rampa para observar a manifestação de enfermeiros e enfermeiras que fazem protesto por melhores condições de trabalho para enfrentar essa pandemia.

A neurociência diz que negar a realidade é um instrumento de defesa. É por isso que muita gente age como se não houvesse pandemia. Não segue o isolamento social e sai de casa sem máscara. Agora, o que a neurociência não explica é como muitos brasileiros agem como se o governo de Bolsonaro existisse e saem à rua para defendê-lo. Esse governo já acabou. Isolado politicamente negocia cargos com os parlamentares de um grupo político apelidado de “Centrão” em troca de votos para poder se livrar de uma eventual cassação e se segurar no poder. Mal sabe ele que o “Centrão” não segura ninguém.

De nossa parte, nós também queremos ver o presidente descer a rampa do Palácio do Planalto. Mas, pela última vez. Defenestrado por um impeachment legal dentro dos preceitos constitucionais e democráticos. Seria uma punição branda a um homem para quem a vida humana não tem valor, a democracia nada significa, o povo é reduzido, apenas, à sua família e amigos, e o território nacional é reduzido a uma rampa.

Subscribe to
SINTESE EM AÇÃO

Or subscribe with your favorite app by using the address below