Malhador: Prefeita nega reajuste ao magistério, mas envia projeto para reajustar o próprio salário e dos secretários

30

O magistério e os demais servidores públicos municipais estão desde janeiro aguardando o reajuste salarial previsto na Lei do Piso do Magistério (11.738/2008) e até agora, a prefeitura Elayne de Dedé não recebeu o SINTESE em audiência.

Qual foi a surpresa que hoje, dia 12, chega a informação de que na próxima terça, dia 16, a Câmara de Vereadores irá colocar para votação projeto de lei que reajuste os salários da prefeita, vice-prefeito, procurador municipal e dos secretários municipais para os mandatos no período de 2021 a 2024.

O reajuste é ilegal? Não, não é, mas em um cenário onde os professores deveriam ter seus salários reajustados em janeiro (como estabelece a Lei do Piso), podemos afirmar que a preocupação da administração de Elayne de Dedé não é com aqueles que prestam serviços para a população.

Apesar do SINTESE estar disposto a dialogar com a prefeita, até agora nenhuma audiência foi marcada.

“O que Elayne de Dedé faz é dar um tapa na cara dos servidores e professores de Malhador. Não recebe a categoria e agora quer reajustar os salários dos secretários municipais, do vice-prefeito e do procurador municipal, entendemos que essas funções são importantes, mas quem é responsável pela formação das novas gerações de Malhador deve ser valorizado”, afirma Nadja Santana, vice-coordenadora da subsede Agreste do SINTESE.