Quero aqui falar com os trabalhadores e trabalhadoras, precisamos compreender o cenário político atual para podermos nos preparar para o que vem pela frente, é por meio deste entendimento que poderemos pautar as nossas lutas, identificar nossos algozes e fortalecer nossas defesas.

É preciso que tenhamos em mente que a política é como um jogo de xadrez. Às vezes, entra-se em uma disputa eleitoral, para prefeito ou vereador, apenas para testar a aceitação do nome ou colocá-lo em evidência pensando na eleição seguinte. Até mesmo a ausência, o silêncio, o distanciamento de um candidato em um pleito eleitoral fazem parte de um movimento que só terá resultado dois anos mais tarde. É bom não esquecer que temos, no Brasil, eleições de dois em dois anos.

Vejamos. os prefeitos eleitos pelo partido social democrático o PSD, partido de Belivaldo, foi o partido com o maior número de prefeitos eleitos destas eleições, que vão administrar vinte prefeituras, se eles seguirem a mesma linha do governador, podem promover grandes desmontes nas políticas públicas dos municípios, assim como Belivaldo vem fazendo com as do estado, e o estrago pode ser imenso. Em números exatos o PSD conseguiu emplacar 20 prefeitos eleitos, 21 vice-prefeitos, podendo chegar a 22 com Aracaju, e mais de 183 vereadores.

O segundo partido mais votado com nove prefeitos foi o MDB, cujo último governador por esse partido deixou uma herança de destruição tamanha, que causa arrepios só em lembrar, continua forte no estado. Mostraram que estão em ascensão o Partido Social Cristão, Partido Progressista onde cada um conseguiu eleger oito prefeitos. Esses, juntamente com o Partido Liberal, com sete, vão seguir seus caciques espalhados pelo estado, cujas atuações são historicamente conhecidas. O Democratas, seguindo o seu processo camaleônico, conseguiu eleger três prefeitos.

Partidos que até então tinham pouca representatividade no platô político do estado como Cidadania, Republicanos e o Solidariedade fizeram cada um, dois prefeitos. O Avante se elegeu em uma prefeitura. Desses, vamos ter que esperar para ver do que são capazes ou incapazes, sabe-se lá. O partido Democrático Trabalhista também fez uma prefeitura, e pode, assim como o Cidadania aumentar esse número, já que disputam o segundo turno na capital Aracaju.

Bem, no frigir dos ovos, partidos de esquerda, como o Partido dos Trabalhadores, por exemplo, que conseguiu eleger seis prefeitos e o Partido Socialista brasileiro, vindo logo atrás, com quatro prefeituras, são, ainda, a luz no final do túnel. E o PDT, não é de esquerda, você pode até questionar a resposta, mas aqui em Sergipe a resposta é não, pois o seu alinhamento com às ideologias trabalhistas, socialista democrática e socialdemocracia parece ter se perdido no pó da estrada que leva ao poder. 

Portanto, trabalhadores e trabalhadoras, por meio desta pequena análise, podemos aprender que, ou melhor podemos apreender que é preciso estarmos ainda mais atentos, pois a nossa luta deverá ser ainda mais árdua.

É bom lembrar que no Brasil opera um processo político de coalisão, ou seja: o ato de fechar acordos e fazer alianças entre partidos políticos e forças políticas em busca de um objetivo específico. Esses acordos entre partidos são, normalmente, com a finalidade de ocupar cargos em um governo e nós, eleitores, eles nos transformaram em moeda de troca. Por isso, não devemos pensar em um partido isoladamente. Ele não age sozinho. Ele age em consonância com um bloco político que dita as regras do jogo.

Portanto, temos que continuar aprimorando nosso processo de escolha dos bons projetos políticos que são apresentados pelos partidos que se alinham na defesa da classe trabalhadora e resistindo contra os maus. Nós, aqui, vamos continuar fazendo a nossa parte.

Sintese: somos muitos. somos fortes.