Governador Belivaldo acabe com a política de morte dos aposentados revogue o desconto dos 14%

147

Dia 24 de janeiro é Dia do Aposentado, uma data que deveria ser comemorada, mas para os aposentados e aposentadas do serviço público estadual é mais um dia de luta pelos seus direitos.

Desde 2015 que o governo do Estado tem empreendido uma política de morte aos aposentados e aposentadas.

A falta de reajuste do piso, atraso no pagamento até a última punhalada que foi, em dezembro de 2019, a aprovação da Reforma da Previdência Estadual que instituiu o desconto de 14% dos proventos dos que recebem menos que o teto previdenciário.

“Aposentados e pensionistas do Estado têm sido alvo de uma política de morte, no momento em que mais precisam dos seus proventos estão submetidos a arrocho e redução salarial”, afirma a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

Desde o início dessa política de morte, o SINTESE tem buscado organizar professoras e professores aposentados na luta pelos direitos. Foram atos públicos na capital e no interior, vigílias na Assembleia Legislativa (solicitando aos deputados estaduais que não aprovassem o desconto), até mesmo ações judiciais.

No final do ano veiculamos vídeo que denuncia a política de morte do governo Belivaldo Chegas

Ato público

E é nessa frente de luta que o sindicato realiza no dia 25 de janeiro, ato público em frente ao Palácio de Despachos cobrando o governador Belivaldo Chagas que revogue o desconto para aqueles que recebem menos que o teto previdenciário. Lembrando que os cuidados de higienização e distanciamento serão tomados.

Vamos lembrar quais os deputados estaduais que votaram a favor da reforma da previdência estadual?

Foram estes dos deputados e deputadas estaduais que votaram a favor da reforma e, consequentemente, do desconto de 14% nas aposentadorias e pensões que estão abaixo do teto previdenciário:

Adailton Martins (PSD); Capitão Samuel (PSC); Dilson de Agripino (PPS); Diná Almeida (Podemos); Doutor Samuel Carvalho (PPS); Francisco Gualberto (PT); Garibalde Mendonça (MDB); Georgeo Passos (Rede); Goretti Reis (PSD); Ibrain Monteiro (PSC); Janier Mota (PR); Jeferson Andrade (PSD); Luciano Bispo (MDB); Luciano Pimentel (PSB); Maísa Mitidieri (PSD); Maria Mendonça (PSDB); Talysson de Valmir (PR); Vanderbal Marinho (PSC); Zezinho Guimarães (MDB) e Zezinho Sobral (Podemos).