Educação na pandemia: a falácia do “ensino” remoto

1734

Confira artigo de Dermeval Saviani e Ana Carolina Galvão que trata dos prejuízos do ensino remoto quando aplicado de forma inconsequente.

Em virtude da pandemia do novo coronavírus, as escolas aderiram ao chamado “ensino” remoto, com consequências diversas, como a exclusão de milhares de estudantes, a precarização e a intensificação do trabalho de docentes e demais servidores das instituições escolares.

Apesar da relevância desses aspectos, nosso objetivo é discutir as implicações pedagógicas do “ensino” remoto e sinalizar que o discurso de adesão por falta de alternativa é falacioso. Por meio da explicitação dos elementos constitutivos da tríade conteúdo-forma-destinatário, buscamos demonstrar a inviabilidade de uma educação de qualidade remota e finalizamos elencando algumas proposições que poderiam ter sido adotadas, além de outras que poderiam surgir se fosse garantida uma construção democrática sobre o funcionamento das escolas.

Para baixar o arquivo completo é só clicar na foto